N. 559/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

49.900,00 €

Valor de outros financiamentos

15.300,00 €

Valor total

65.200,00 €
Mapa de localização da candidatura


Mapa das candidaturas financiadas


Registos

ASAS- Aldeia dos Saberes e dos AfetoS

A partir de um bazar social, o projeto visa criar uma comunidade de fornecedores na qual a população sénior, em trabalho cooperativo dinamizado por uma equipa multidisciplinar que possa capacitar, nas áreas da agricultura e transformação artesanal de produtos, envolvendo os vizinhos em situação de precariedade laboral, lay-off ou desemprego. As equipas de produtores fornecerão a loja (cujos produtos serão vendidos a preços sociais, mas o seu objetivo fundamental é quebrar o isolamento dos mais idosos, pela via de refazer laços de proximidade intergeracionais, promover o sentido de pertença e de utilidade pessoal, melhorando a saúde mental e física, em período de pandemia). Com os mesmos objetivos, a loja promoverá a criação de caixas solidárias em vários pontos da freguesia e construirá uma plataforma digital de partilha de recursos locais que servirá de mote para ações de literacia informática. Workshops e tertúlias que promoverão a partilha de saberes e a recolha de tradições orais.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Quebrar o isolamento social e a solidão da população com + de 55 anos de Alte, promovendo o seu envolvimento em ações produtivas de partilha de saberes ancestrais. Restabelecer relações de vizinhança e de afetos, criando um sentido de pertença e de utilidade pela disseminação desses saberes e dos seus produtos pela comunidade, contribui para melhorar as condições de vida de vizinhos em situações de desemprego ou de precariedade laboral. A Freguesia de Alte, território de baixa densidade, em processo acelerado de envelhecimento e desertificação. Muita da população mais jovem residente apresenta fracas qualificações, situações laborais precárias ou de desemprego crónico. Se estas condições, em tempos normais promovem o isolamento dos idosos, a quebra de relações de vizinhança e a insuficiência económica, com forte impacto na saúde mental e mesmo física da população, a pandemia, com o distanciamento social necessário veio agravar fortemente a saúde pública.

Objetivo específico 1 e justificação

Criar grupos de trabalho de voluntários produtores/ artesãos nas aldeias, montes e sítios da freguesia de Alte, formados por um misto de população sénior e vizinhos em situação de desemprego ou lay-off, que forneçam com os seus produtos um Bazar Social e outros estabelecimentos comerciais. Pretende-se, com o trabalho colaborativo, reforçar o sentido de pertença e as relações interpessoais, levando a população sénior a partilhar os seus saberes no que concerne à produção agrícola, transformação de hortícolas e artesanato com vizinhos mais jovens em situação de desemprego ou lay-off, servindo os produtos resultantes para abastecer o Bazar Social, onde serão vendidos a preços reduzidos ou mesmo para abastecer outras lojas parceiras. A população sénior será formadora dos mais jovens, valorizando os saberes adquiridos ao longo da vida e devolvendo-lhes o sentido de utilidade social e o interesse pela vida.

Objetivo específico 2 e justificação

Pretende-se estimular a economia local e apoiar a população carenciada pela valorização da agricultura de subsistência e de formas ancestrais de produção e do trabalho colaborativo. Criar um Bazar Social, na aldeia de Alte, abastecido por uma rede de equipas de produção, mistas de seniores e vizinhos em situação de desemprego, que possa fornecer bens de qualidade a preços reduzidos. A Bazar Social será criado com a participação da população sénior e, sendo um processo dinâmico poderá evoluir para a criação de uma moeda local. Este Bazar contará com um espaço físico, na aldeia de Alte mas, terá também uma vertente itinerante, estabelecendo-se como um mercadinho a realizar em cada uma das aldeias, montes e sítios da freguesia. Nesses mercadinhos participará a equipa de produtores locais, vendendo aos vizinhos e o Bazar central recolherá produtos para se abastecer e venderá outros que não sejam produzidos no local. O Bazar organizará workshops de partilha de saberes.

Objetivo específico 3 e justificação

Criação de quatro caixas solidárias que pretendem restabelecer relações de solidariedade e afetos entre vizinhos, promovendo uma economia de trocas de excedentes individuais. Nas caixas, os residentes poderão depositar produtos que tenham em excesso (das suas hortas ou capoeiras) e recolher outros que lhes façam falta. Ainda, a população mais carenciada poderá abastecer-se gratuitamente de alguns desses produtos. Outros, poderão adquirir a preços reduzidos no Bazar Social.

Objetivo específico 4 e justificação

Promover a literacia digital entre a população (nomeadamente idosos), a partir da criação e utilização de uma plataforma digital de partilha e divulgação de recursos locais. As oficinas de literacia digital, para além de ensinarem os residentes a acederem a produtos e serviços partilhados via plataforma (a partir, essencialmente do telemóvel e/ou computador/tablet) pretendem ainda capacita-los para a utilização da internet e das redes sociais, de forma a fornecer-lhes mais uma ferramenta que quebre o isolamento e combata a solidão em contexto de pandemia. O Bazar social é também um ponto de acesso à plataforma.

Objetivo específico 5 e justificação

Promover a saúde mental e física da população sénior e de outros elementos da comunidade altense em situação de fragilidade. As diversas atividades, ao promoverem o trabalho colaborativo, o restabelecimento de relações sociais e de afetos (recuperando as ancestrais relações de vizinhança e solidariedade aldeãs) combatem a solidão e isolamento, criando uma rede informal de apoio psicológico que pode ser um instrumento potente na supressão do risco de depressão. Em simultâneo, esta rede servirá como veículo de divulgação de normas simples de higiene e defesa da saúde e de prevenção da contaminação por COVID e outras doenças. Permitirá ainda, apoio comunitário em caso de doença de algum dos participantes (seja no apoio domiciliário, seja na aquisição de medicamentos ou bens de primeira necessidade).

Parceria local

Promotora

Centro de Animação e Apoio Comunitário da Freguesia de Alte

Parceira

Freguesia de Alte
Maria Irene Madeira Santinho Horta Figueiredo
Escola Profissional de Alte, CIPRL
Câmara Municipal de Loulé

Território(s) de intervenção

1. Freguesia de Alte- Aldeias, montes e sítios

Alte, Loulé
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de condições de mobilidade e transporte
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Bazar dos Afetos- Loja Social

O Bazar dos Afetos será o epicentro do Projeto ASAS. Fornecerá produtos de primeira necessidade e produtos transformados à população carenciada, mas também, pela necessidade de ser abastecida, promoverá a criação de grupos de produtores/ fornecedores, nas diversas localidades da freguesia, restabelecendo relações de proximidade, valorizando os saberes dos mais velhos e criando uma rede de relações em toda a freguesia, que funcionará como suporte social, económico e de saúde mental. Organizará workshops de partilha de técnicas ancestrais de agricultura e transformação de produtos.
Destinatários preferenciais
Idosos (65 e mais anos), Adultos (25 a 64 anos), Mulheres, Toda a comunidade

2. Cá se faz- Plataforma digital de recursos locais

A plataforma pretende divulgar todos os serviços, produtores e comerciantes sedeados na freguesia de Alte de forma a potenciar os seus negócios e facilitar o acesso a quem deles necessite, mantendo uma rede de contactos promotora de comunicação. Para isso será necessário promover a literacia digital entre a população. As oficinas de literacia digital, para além de capacitarem os residentes a promoverem e acederem a produtos e serviços partilhados via plataforma, pretendem ainda proporcionar-lhe os rudimentos da utilização da internet e das redes sociais de forma a combater o isolamento social.
Destinatários preferenciais
Jovens (18 a 24 anos), Idosos (65 e mais anos), Adultos (25 a 64 anos), Mulheres

3. Baú da Partilha- Caixa Solidária

Sob o mote "leve o que precisar, deixe o que quiser"- Visa promover a solidariedade na comunidade promovendo a partilha dos excedentes de produção ou outros bens de primeira necessidade que possam ter utilidade a quem mais deles precisar. Prevê-se a criação de quatro caixas solidárias, em diferentes localidades da freguesia, com o apoio e participação de voluntários
Destinatários preferenciais
Idosos (65 e mais anos), Adultos (25 a 64 anos), Famílias, Toda a comunidade

4. Conta-me como era- Recolha e divulgação de património imaterial

Recolher junto da população mais idosa e dispersa conhecimento das artes, ofícios, gastronomia, cantigas e lenga-lengas, que ganhem novamente vida pela sua partilha com os mais jovens. Através de tertúlias, workshops e outras atividades organizadas quer a partir da loja social, quer por cada uma das equipas de produtores, pretende-se para além da disseminação de saberes ancestrais, contribuir ativamente para o bem estar mental dos seus agentes. A promoção de relacionamento interpessoal é essencial para quebrar o isolamento social em que vivem e diminuir o sentimento de abandono.
Destinatários preferenciais
Jovens (18 a 24 anos), Idosos (65 e mais anos), Mulheres, Famílias, Migrantes, Toda a comunidade

5. Da terra à arte- Transformação de produtos excedentes em economia saudável

A transformação será realizada em encontros periódicos dos grupos de produtores/fornecedores, onde, sob orientação dos seniores ou outros agentes, todos aprenderão a confecionar doces e conservas tradicionais, bem como algum artesanato, que serão distribuídos entre os participantes, reservando-se uma parte para abastecer a loja social e, se possível, as caixas solidárias. Pretende-se ainda promover a alimentação saudável e o zero desperdício, bem como regras de higiene e saúde alimentar.
Destinatários preferenciais
Jovens (18 a 24 anos), Idosos (65 e mais anos), Adultos (25 a 64 anos), Mulheres