N. 36/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

40.900,00 €

Valor de outros financiamentos

0,00 €

Valor total

40.900,00 €
Mapa de localização da candidatura


Mapa das candidaturas financiadas


Registos

Bairros SEM Bullying

O Programa objetiva a promoção de contextos desenvolvimentais seguros e da saúde mental, prevenindo o bullying e a violência interpessoal, através de uma ação integrada da comunidade. Segundo o Plano de Desenvolvimento Social (2016), os conjuntos habitacionais escolhidos apresentam fragilidades, como o insucesso e absentismo escolar, comportamentos de risco, isolamento social, défices de competências e estilos parentais e um elevado número de processos na CPCJ. Estas vulnerabilidades são consequências do bullying, pelo que este projeto poderá ser uma mais-valia para estas comunidades. Com a intervenção, materiais psicopedagógicos, e ações de sensibilização e de formação, pretende-se combater as vulnerabilidades, dotando a comunidade de estratégias para fazer face ao fenómeno. No ano transato a Associação Plano i foi financiada pela DGS para desenvolver um projeto de prevenção do bullying e é, ainda, a entidade promotora do Observatório Nacional do Bullying que conta com 393 denúncias.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

O Programa pretende constituir-se como uma ferramenta para a promoção de um contexto estrutural, de proximidade e escolar seguro e igualitário, prevenindo e combatendo todas as formas de bullying e de violência interpessoal, em prol da promoção da saúde mental e do desenvolvimento integral positivo das crianças e dos/as jovens. Partindo a implementação do programa de uma prévia análise ecológica das necessidades do contexto (prevalência do fenómeno e sua caracterização), o Programa tem como objetivo garantir o envolvimento de toda a comunidade, nas suas várias fases de implementação e enquanto elementos fulcrais no seio de uma participação ativa na mudança da cultura institucional, nomeadamente pela capacitação das crianças e jovens enquanto agentes multiplicadores (educação de pares). O mapeamento do fenómeno e a validação empírica e científica do Programa vêm contribuir para a implementação de políticas educativas e de saúde pública adequadas.

Objetivo específico 1 e justificação

Conhecimento das idiossincrasias do contexto, através do mapeamento do fenómeno do bullying na comunidade, a fim de implementar medidas adequadas, dando resposta às necessidades (e.g., entrevistas semi-estruturadas, focus group, observação em contexto).

Objetivo específico 2 e justificação

Trabalho com os agrupamentos de escolas parceiras e com as associações/coletivos/ONG/IPSS do terreno, envolvendo toda a comunidade educativa nas várias etapas de desenvolvimento do projeto, desde o mapeamento de necessidades à implementação do programa (e.g., intervenção com crianças e jovens com recurso a atividades de educação não formal, dinamização de ações de formações junto de pais, mães, docentes, assistentes operacionais e outros/as adultos/as, sobre a temática).

Objetivo específico 3 e justificação

Trabalhar não só na, mas com a comunidade, através da articulação com entidades parceiras e estruturas de proximidade, de modo a promover a sensibilização coletiva e a ação conjunto em prol do combate ao bullying (e.g., dinamização de atividades junto de famílias, em prol do desenvolvimento de competências de parentalidade positiva e para a sinalização atempada e intervenção face ao bullying; criação colaborativa de um mural coletivo).

Objetivo específico 4 e justificação

Criação de recursos pedagógicos (e.g., guia de boas práticas e manual do programa) dirigidos a profissionais, possibilitanto a replicabilidade do Programa e, assim, garantindo a sua sustentabulidade. Importa salientar que, no que diz respeito a todos os eixos acima enumerados, as atividades terão em consideração a sua possibilidade de adaptação face às atuais contigências de saúde pública.

Objetivo específico 5 e justificação

A investigação evidencia que vítimas de bullying e pessoas agressoras tendem a sofrer consequências significativas na saúde, no bem-estar emocional e na aprendizagem (Green, 2008 como citado por António et al., 2012). Estas consequências manifestam-se por baixa autoestima, isolamento, dificuldades de concentração, absentismo escolar, diminuição do rendimento escolar e tentativas de suicídio (O’Higgins-Norman, 2008; Adams et al., 2004; Berlan et al., 2010; Ritter & Terndrup, 2002). A longo prazo (Adams et al., 2004; Carvalhosa, 2009; Rigby & Slee, 1993; Solberg & Olweus, 2003) são apontados sentimentos de culpa, depressão, ansiedade e dificuldade em estabelecer relações interpessoais. Green (2008 como citado por António et al., 2012) realça que as vítimas apresentam maior tendência para a automutilação e tentativas de suicídio. Assim, o presente projeto visa diminuir o número de crianças e jovens com perturbações de ansiedade, depressão, auto-mutilação, ideação suicida e suicídio.

Parceria local

Promotora

Associação Plano i

Parceira

Associação para o Planeamento da Família
MatosinhosHabit
Escola Secundária João Gonçalves Zarco - Matosinhos
ADEIMA
Leixões Sport Club
Junta da União das Freguesias São Mamede de Infesta Senhora da Hora
Câmara Municipal de Matosinhos
Unidade Local de Saúde de Matosinhos EPE
ASSOCIAÇÃO BAPTISTA ÁGAPE
AE de Matosinhos
Escola Secundária Augusto Gomes
Junta de Freguesia de Matosinhos e Leça da Palmeira

Território(s) de intervenção

1. CONJ. HAB. SEARA

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

2. CONJ. HAB. BAIRRO PESCADORES

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

3. CONJ. HAB. CARCAVELOS I E II

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

4. CONJ. HAB. CRUZ DE PAU (25ABR)

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

5. CONJ. HAB. CRUZ DE PAU AUSTRÁLIAS

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

6. CONJ. HAB. ESTÁDIO DO MAR I, II, III

São Mamede de Infesta e Senhora da Hora, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

7. CONJ. HAB. BIQUINHA - 1ª, 2ª, 3ª fase, Antiga

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

8. CONJ. HAB. CRUZ DE PAU (BAIRRO ANTIGO)

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

9. CONJ. HAB. REFINARIA ANGOLA

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

10. CONJ. HAB. TARRAFAL

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Guia de Boas Práticas

Ambicionando contribuir para a disseminação de informação acerca do Bullying e consequentes boas práticas no que diz respeito à prevenção e à intervenção, planea-se a criação de um guia de boas práticas direcionado a profissionais.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

2. Construção de um Manual de Intervenção

Com vista à disseminação de informação acerca do fenómeno e ambicionando a (re)aplicação do programa em contextos distintos, a equipa técnica propõe-se a desenhar um Manual de Intervenção, onde se poderá aceder a todas as atividades e a toda a informação cientifica utilizada no desenho e na implementação da intervenção.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Toda a comunidade

3. Criação de materiais de sensibilização

De forma a maximizar o impacto do projeto no que diz respeito à consciencialização para o fenómeno, planeia-se a construção de materiais de sensibilização (e.g., cartazes, vídeos) com vista à disseminação de informação (e.g., através das redes sociais) e à sensibilização da população em geral para o bullying e consequentes impactos.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Toda a comunidade

4. Realização de entrevistas semi-estruturadas com docentes

Com vista ao mapeamento das necessidades do contexto onde se pretende levar a cabo a intervenção, prevê-se a realização de entrevistas semi-estruturadas com um/a docente de cada Agrupamento de Escolas de ambos os territórios escolhidos para a intervenção. Desta forma, será possível recolher informação não só acerca dos comportamentos agressivos das crianças e dos/as jovens através da perspetiva destes/as profissionais, bem como do conhecimento que possuem, das diferentes formas de atuação das pessoas adultas do contexto envolvente e das medidas já implementadas para fazer face ao fenómeno.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres

5. Realização de entrevistas semi-estruturadas com assistentes operacionais (AI)

Com vista ao mapeamento das necessidades do contexto onde se pretende levar a cabo a intervenção, prevê-se a realização de entrevistas semi-estruturadas com um/a AI de cada Agrupamento de Escolas e ONG/Assoc. dos territórios escolhidos para a intervenção. Desta forma, será possível recolher informação não só acerca dos comportamentos agressivos das crianças e dos/as jovens através da perspetiva destes/as profissionais, bem como do conhecimento que possuem, das diferentes formas de atuação das pessoas adultas do contexto envolvente e das medidas já implementadas para fazer face ao fenómeno.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres

6. Realização de focus-group

Com vista ao mapeamento das necessidades do contexto onde se pretende levar a cabo a intervenção, prevê-se a realização de um focus group (entrevista grupal) com membros da comunidade de ambos os territórios escolhidos para a intervenção. Desta forma, será possível recolher informação não só acerca dos comportamentos agressivos das crianças e dos/as jovens através de uma perspetiva comunitária, bem como do conhecimento que possuem, das diferentes formas de atuação das pessoas adultas do contexto envolvente e das medidas já implementadas para fazer face ao fenómeno.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres

7. Observação Naturalista em Contexto

Com vista ao mapeamento das necessidades do contexto onde se pretende levar a cabo a intervenção, prevê-se a realização de observação naturalista em contexto por parte da equipa técnica nos territórios escolhidos para a intervenção. Desta forma, será possível recolher informação não só acerca dos comportamentos agressivos das crianças e dos/as jovens, bem como das diferentes formas de atuação das pessoas adultas do contexto envolvente.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Adultos (população em idade ativa), Mulheres

8. Ações de formação com pessoal técnico (docentes, assistentes operacionais e profissionais das ONG/Associações/Coletivos/IPSS)

No presente projeto, planeia-se a realização de ações de formação direcionadas a pessoal técnico, tendo por objetivo dotar todos/as os/as participantes de conhecimento teórico acerca do fenómeno, desmistificando algumas crenças, e de estratégias práticas para a sua prevenção e combate. Assim, constitui-se como uma medida fundamental a ser aplicada uma vez que o conhecimento acerca de um fenómeno é fulcral para a sinalização correta dos casos e para a realização de uma intervenção eficaz.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa)

9. Programa de Intervenção com crianças e jovens que frequentam o 2º e 3º ciclo de escolaridade

Implementação de programa de intervenção (assente em metologias de educação não formal) junto de crianças e jovens (2º ao 3º ciclo), com vista à prevenção do bullying, procurando-se capacitá-los/as para: a) desconstrução de preconceitos que sustentam comportamentos de discriminação; b) identificação das tipologias de violência e dos meios pelos quais o bullying ocorre; c) compreensão dos impactos para os/as intervenientes; d) desconstrução de mitos associados ao fenómeno, potenciando o pedido de ajuda; Capacitar os/as jovens enquanto agentes ativos/as da mudança em prol dos Direitos Humanos.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens

10. Articulação constante com Entidades Parceiras

De forma a trabalhar com a comunidade, garantindo uma ação coerente e mais eficaz, pretende-se a articulação com entidades parceiras que trabalham junto da comunidade, de modo a criar sinergias e potenciar o trabalho colaborativo. Assim, pretende-se potenciar o sucesso do presente projeto, chegando a um público superior e fazendo-o da forma mais eficaz possível, maximizando a sensibilização para o fenómeno.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

11. Ações de sensibilização junto das Famílias

Reconhecendo a importância de toda a comunidade educativa no combate ao bullying, planeiam-se ações de sensibilização, enquanto sessões de conversa e debate informais, com adultos/as. As sessões terão o intuito de consciencializar para o fenómeno, esclarecer dúvidas, partilhar preocupações e dar estratégias de atuação. Estas estão estruturadas para ocorrerem presencialmente, uma vez que poderão existir famílias sem acesso a computadores e internet. Tendo em conta a crise pandémica e de forma a aumentar a presença das famílias, serão entregues kits de proteção contra o Covid-19.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Toda a comunidade

12. Mural coletivo contra o Bullying

Enquanto ação de sensibilização para o Bullying, prevê-se a criação de um mural coletivo, onde se verão frases motivacionais e slogans associados ao combate ao fenómeno. Importa referir que, através desta atividade, se pretende igualmente promover uma postura colaborativa de todos os membros da comunidade, através do trabalho em equipa e da partilha de experiências.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

13. Ações de formação com profissionais da comunidade que tenham contacto com crianças e jovens

No presente projeto, planeia-se a realização de ações de formação direcionadas a todos/as os/as profissionais da comunidade que tenham contacto com crianças e jovens, tendo por objetivo dotar todos/as os/as participantes de conhecimento teórico acerca do fenómeno, desmistificando algumas crenças, e de estratégias práticas para a sua prevenção e combate. Assim, constitui-se como uma medida fundamental a ser aplicada em toda a comunidade, uma vez que o conhecimento acerca de um fenómeno é fulcral para a sinalização correta dos casos e para a realização de uma intervenção eficaz.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias

14. Ações de sensibilização junto da Comunidade

Ambicionando cativar toda a comunidade e envolvê-la no combate ao bullying, almeja-se a realização de diversas atividades (e.g.,visualização de filmes sobre a temática, debates informais). Através destas atividades, pretende-se que toda a comunidade se torne beneficiária deste projeto, realizando uma consciencialização para o fenómeno e para o seu impacto em grande escala.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

15. Realização de entrevistas semi-estruturadas com profissionais que trabalham nos projetos de terreno

Com vista ao mapeamento das necessidades do contexto onde se pretende levar a cabo a intervenção, prevê-se a realização de entrevistas semi-estruturadas com um/a profissional de cada projeto (ONG/assoc) de ambos os territórios escolhidos para a intervenção. Desta forma, será possível recolher informação não só acerca dos comportamentos agressivos das crianças e dos/as jovens através da perspetiva destes/as profissionais, bem como do conhecimento que possuem, das diferentes formas de atuação das pessoas adultas do contexto envolvente e das medidas já implementadas para fazer face ao fenómeno.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres