N. 279/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

49.538,00 €

Valor de outros financiamentos

0,00 €

Valor total

49.538,00 €
Mapa de localização da candidatura

Mapa das candidaturas financiadas


Registos

Culatra Responsável

Projeto integrado para a capacitação da comunidade da Culatra e organização de moradores, para o fomento da coesão social e promoção da cidadania plena, assentes nos princípios da participação e construção de soluções onde a comunidade se sinta confortável. O contexto de intervenção assume um papel preponderante por se tratar de uma ilha com um histórico riquíssimo de reivindicação e participação coletivas para resolução dos problemas comuns; é fundamental que essa condição se cimente, nomeadamente através de desenvolvimento de iniciativas de cariz social, de sistemas de apoio à promoção da justiça social, às condições práticas dos fundamentos da economia circular, à manutenção das atividades que caraterizam a matriz económica do núcleo piscatório e a forte ligação à gestão dos recursos e preservação de ecossistemas. Estas atividades visam melhorar a qualidade de vida da comunidade, fortalecer o espírito de partilha e construir novas soluções, inovadoras e sustentáveis.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Promover a coesão social e territorial do Núcleo Piscatório da Culatra, através da capacitação da comunidade e estruturas locais, mais ou menos organizadas, para a gestão dos recursos comuns, alavancagem de projetos inovadores e inclusivos, participação ativa e informada, criação de estruturas de apoio ao desenvolvimento social e económico e assegurar a preservação da sua identidade. O historial de luta e defesa dos interesses comunitários que permitiram à comunidade da Culatra ser hoje um espaço infraestruturado com uma base comunitária bastante robusta devem ser valorizados e evidenciados na construção de estratégias coletivas sustentáveis que que se baseiem numa abordagem holística, para uma melhor resposta aos desafios do futuro. O alinhamento com as políticas vigentes no território é fundamental, sempre com a certeza que se faz na defesa dos interesses da comunidade, do seu modo de vida e melhoria contínua das condições de vida.

Objetivo específico 1 e justificação

Dinamização do Fundo de Responsabilidade Social e Ambiental da Culatra, criado a partir da vontade comunitária, num processo amplo de participação. O Fundo deve assumir-se como uma plataforma de serviços financeiros solidários, de natureza comunitária e em rede, focada no apoio às economias locais, à transição energética e à salvaguarda ambiental, tendo por base os princípios da Economia Solidária e circular. O Fundo constitui-se como um instrumento operacional de apoio que permitirá aos residentes aceder a um plano de microcrédito para financiar obras de climatização passiva, produção de energia descentralizada e incrementação de medidas de eficiência energética, bem como eliminação de estruturas de amianto e outras iniciativas associativas para o bem comunitário. Pretende constituir-se como um mecanismo de dinamização do emprego através da organização e gestão de atividades comuns, de campanhas de sensibilização, eventos culturais e desportivos, crowdfunding, entre outras.

Objetivo específico 2 e justificação

Fortalecer o processo de participação comunitária e organização de moradores, movimento associativo e cooperativo e grupos informais de cidadãos, como forma de promoção da cidadania ativa e criação de condições para uma maior motivação para a ação nos diversos aspetos que dizem respeito aos habitantes do núcleo piscatório da Culatra. Este processo é fundamental para o fortalecimento das estruturas representativas da comunidade e dos interesses dos seus grupos, bem como para a capacitação dos cidadãos para uma ação mais constante e esclarecida em temas que ajudem os grupos organizados a tomar posições mais firmes e alargadas na defesa dos interesses comunitários. É importante garantir que todos se sintam valorizados na participação e representados nas decisões. A valorização dos contributos individuais potencia uma maior participação comunitária e uma maior disponibilidade para ações de voluntariado e assunção de responsabilidades do seio da comunidade.

Objetivo específico 3 e justificação

Promover e operacionalizar conceitos e práticas de economia circular e partilhada, assente nos princípios de gestão sustentável e partilha de recursos, redução dos desperdícios, valorização das atividades económicas social e ambientalmente justas, produção sustentável e medidas de promoção de alteração do paradigma de consumo e gestão de energia. São eixos de intervenção a partilha de transporte, de espaços e recursos comuns, a cooperação entre empresas, a organização conjunta de eventos e o acordo para ação concertada nos processos de redução e valorização dos desperdícios primários das atividades económicas na Culatra. Pretende-se que sejam dados os primeiros passos para a criação de uma zona plástico zero, através da capacitação de cidadãos, agentes económicos e autoridades, e através do desenvolvimento de sistema para introdução de medidas junto dos agentes económicos para a eliminação de materiais de uso único. A gestão dos resíduos e a produção e consumo locais são prioridade.

Objetivo específico 4 e justificação

Desenvolvimento de ferramentas de comunicação e informação para cidadãos e visitantes, com um foco muito especial nestes últimos, quer se trate de visitantes com destino praia, quer de turismo náutico ou outro, sobre práticas de turismo sustentável. Estas medidas passarão pelo desenho de campanhas de informação e colocação de sinalética informativa sobre os ecossistemas, sobre medidas de proteção ambiental, projetos em curso, história natural e social dos espaços (onde se inclui o fundamental processo de assentamento humano baseado na sustentabilidade e uso de recursos), a capacidade de carga do território e que medidas, ações e comportamentos que cada visitante pode empreender para tornar a Culatra um espaço de harmonia, garantindo o seu usufruto a longo prazo.

Parceria local

Promotora

Associação de Moradores da Ilha da Culatra

Parceira

Make it Better, Associação para a Inovação e Economia Social
Universidade do Algarve
União das Freguesias de Faro (Sé e São Pedro)
Sciaena - Associação de Ciências Marinhas e Educação
Município de Faro

Território(s) de intervenção

1. Ilha da Culatra, União de Freguesias de Faro, Concelho de Faro

Faro (Sé e São Pedro), Faro
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Exiguidade do espaço habitável
Desadequação severa dos espaços comuns
Deficientes condições de acesso ao abastecimento de água, saneamento e energia, designadamente em áreas de génese ilegal
Ventilação e iluminação solar insuficientes ou baixo conforto térmico e acústico
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de condições de mobilidade e transporte
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Falta de condições para aceder ao ensino a distância

Atividades

1. Fundo de Responsabilidade Social e Ambiental da Culatra

Abordagem integrada para a angariação e gestão de capitais, através de sistema de microcrédito comunitário, que possam ser investidos e replicados por iniciativas particulares e coletivas para melhoria do desempenho energético das habitações e estruturas comunitárias comuns, melhoria dos espaços públicos, melhoria das condições e de riscos da saúde, criação de iniciativas de proteção ambiental e das atividades económicas tradicionais da Culatra, bem como introdução de medidas de inovação.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

2. Projeto para criação de moeda social local

Estruturar um conjunto de iniciativas para promoção da criação de uma moeda social local, através dos estudos das condições de operação, enquadramento legal, viabilidade económica, regulação e regulamentação de uso, aceitação e grau de penetração da comunidade, estabelecimentos de parcerias, estudos de benchmarking, estudo dos canais de pagamento e mais valias para a comunidade.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

3. Criação de um banco de horas comunitário

Criar uma estrutura colaborativa, de acordo com disponibilidades e interesses dos culatrenses, para iniciativas na comunidade, o que implica o desenvolvimento de ferramentas de motivação, capacitação e valorização da participação. Esta iniciativa poderá ter um impacto maior nos jovens e nas mulheres numa primeira fase, sendo que o objetivo é envolver toda a comunidade piscatória. A responsabilização e a valorização do voluntariado contribuem para uma maior apropriação dos resultados e estreita as relações de vizinhança e confiança.
Destinatários preferenciais
Jovens, Toda a comunidade

4. Criar um mecanismo regular de processos participativos na comunidade da Culatra

Desenvolver mecanismos de capacitação das estruturas locais para estabelecimento de quadro de participação comunitária regular, pela valorização dos contributos e a abordagem horizontal das questões que podem dizer respeito a um grupo de cidadãos, formal ou não. Esta participação favorece os níveis de confiança dos indivíduos e o consequente envolvimento na vida da comunidade, com maior disponibilidade para a assunção de responsabilidades e dotação de ferramentas na defesa dos interesses da comunidade. Permite uma abordagem mais robusta na negociação com instituições com jurisdição na ilha.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

5. Promover práticas de economia circular e partilhada

Desenvolver um conjunto de ferramentas que promovam a concretização de ações que respeitem e capitalizem as práticas de economia circular e partilhada, nomeadamente: (i)incorporar materiais reciclados na economia da ilha, (ii) capitalizar benefícios económicos e sociais de gerar energia a partir de fontes renováveis, (iii) preservar a biodiversidade de forma a valorizar práticas de atividades económicas sustentáveis, (iv) apostar na diversidade da sociedade e cultura, como valores fundamentais para uma sociedade inclusiva, com bem-estar, saúde e qualidade de vida.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

6. Criação de Zona Plástico Zero

Campanha de sensibilização dirigida à comunidade, visitantes e agentes económicos da Ilha (pesca e restauração), para erradicar o uso e acumulação de plásticos. Criação de uma marca distintiva a atribuir às entidades que comprovem a redução e substituição de plástico por materiais de menor pegada ecológica, e pelo seu papel na produção/gestão de resíduos. Criação da zona de controlo de plástico, para sensibilização contínua de posicionamento da ilha em relação ao plástico, com colocação de “Detetor de Plástico” na entrada da ilha, para sensibilizar os visitantes para não transportarem plástico
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

7. Abordagem integrada na informação sobre sustentabilidade no território

Desenvolvimento de um conjunto de informação e materiais sustentáveis para colocação em pontos estratégicos na Ilha, dirigidos à comunidade, mas sobretudo para os visitantes. É importante atender à informação a abordar, sobretudo os que dizem respeito às caraterísticas sociais, económicas e modos de vida do núcleo piscatório da Culatra, as fragilidades ambientais e necessidades de preservação ativa dos ecossistemas, capacidade de carga dos espaços da ilha, gestão de resíduos e possíveis contributos dos visitantes para os projetos ambientais e sociais em curso na ilha.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

8. Abordagem integrada de informação e capacitação da comunidade, agentes económicos e associativos na Culatra.

Implementação de um programa integrado de ações de capacitação, informação e sensibilização, dirigido a todos os agentes que vivem, trabalham e operam no território da Culatra, sobre as questões da sustentabilidade, fruição do espaço público, gestão de recursos e transição energética, gestão de água e resíduos, projetos sociais, gestão e valorização de bio resíduos, participação comunitária ativa, valorização dos recursos da pesca, artesanato e produtos locais.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade