N. 722/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

50.000,00 €

Valor de outros financiamentos

0,00 €

Valor total

50.000,00 €
Mapa de localização da candidatura

Mapa das candidaturas financiadas


Registos

PERCURSOS ACOMPANHADOS – Projeto de intervenção social e comunitária

PERCURSOS ACOMPANHADOS É um projeto de cariz essencialmente social, cuja metodologia de intervenção privilegiada é a Investigação / ação na medida em que as respostas concretas para os problemas dos residentes da freguesia de Corte do Pinto e Santana de Cambas surgem do conhecimento direto das necessidades e do contexto residencial e comunitário em que os mesmos se inserem. Partindo de um contexto local de um índice elevado de envelhecimento, agregado a outros indicadores da situação de equidade social e qualidade de vida, tais como, elevada taxa de desemprego; baixo nível de rendimento disponível per capita; elevada taxa de pobreza; elevada dependência de prestações sociais; elevado número de famílias disfuncionais com hábitos de consumo de substâncias psicoativas; diminuto grau de acesso a cuidados de saúde, derivado de uma “empobrecida” rede de transportes, contribuem para um território que assiste persistentemente a um minar da sua capacidade de autonomia e integração social.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Promoção do bem-estar biopsicossocial e económico dos cidadãos residentes na Freguesia de Corte do Pinto e Freguesia de Santana de Cambas, através da utilização de técnicas de intervenção social que contribuam para organizar, disponibilizar e mobilizar serviços e recursos que promovam o desenvolvimento e capacitação dos indivíduos. Sendo o Local o espaço privilegiado para o desenvolvimento de processos participativos e de intervenção eficaz, o projeto Percursos Acompanhados surge como a possibilidade de uma intervenção de proximidade que permitirá minimizar as problemáticas multidimensionais que afetam a comunidade, agravadas nas suas várias vertentes pela situação de pandemia e da primazia do discurso sanitário que conduziu a uma perda efetiva da qualidade de vida, sentida principalmente junto dos grupos considerados de risco e/ou de grande vulnerabilidade (população carenciada e desfavorecida).

Objetivo específico 1 e justificação

Elaboração de diagnóstico social do território de intervenção O território de intervenção apresenta um conjunto particular de características, em comparação com o restante concelho, que carece da realização de um levantamento exaustivo e cirúrgico das condições sociodemográficas da sua população, de forma a possibilitar uma resposta, também ela, cirúrgica, e eficaz para as problemáticas que existem transversalmente nas várias faixas etárias.

Objetivo específico 2 e justificação

Criação de uma estrutura local de proximidade para o apoio a situações de vulnerabilidade socioeconómica, pré-existentes e especificamente agravadas pela situação de pandemia, e para a promoção de atividades de intervenção comunitária e desenvolvimento social. Possui como objetivo principal a intervenção na área da família e comunidade, com o intuito de minimizar as problemáticas multidimensionais que afetam a capacidade de autonomia e integração social e tendo em vista o desenvolvimento integrado na comunidade.

Objetivo específico 3 e justificação

Orientação e encaminhamento de grupos de risco e/ou em situação de vulnerabilidade socioeconómica para as entidades competentes de acordo com as problemáticas em causa, de forma a garantir uma maior eficácia do conjunto de respostas sociais nas freguesias, ao simplificar e normalizar procedimentos com vista a uma aproximação às práticas de gestão pela qualidade.

Objetivo específico 4 e justificação

Capacitação de Cuidadores Informais para um melhor acompanhamento e prestação de cuidados à pessoa que deles requer. O impacto do papel de cuidador informal tem aspetos positivos, como o sentimento da reciprocidade, de dever cumprido, de crescimento pessoal, mas também algumas fragilidades, relacionados com a vivência da sobrecarga, o risco de isolamento social, repercussões na sua saúde e qualidade de vida, entre outras. Nesse sentido e por forma a minimizar os aspetos negativos e a potenciar os positivos, importa implementar um conjunto de medidas que contextualizem e promovam o ato de cuidar.

Parceria local

Promotora

Casa do Povo de Santana de Cambas

Parceira

Junta de Freguesia de Corte do Pinto
Câmara Municipal de Mértola
Centro de Apoio a Idosos de Moreanes
Junta de Freguesia de Santana de Cambas
Centro Social dos Montes Altos
Comissão de Moradores da Mina de São Domingos - Associação
Fundação Serrão Martins
Núleo de Voluntariado de Mértola

Território(s) de intervenção

1. Freguesia de Santana de Cambas

Santana De Cambas, Mértola
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

2. Freguesia de Corte do Pinto

Corte Do Pinto, Mértola
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Gabinete de Atendimento Social

1.Elaboração de Diagnóstico Social; 2.Atendimento e apoio social a indivíduos e famílias em situação de carência ou disfunção, visando prevenir ou restabelecer o seu equilíbrio funcional, através da mobilização de recursos próprios ou comunitários e do encaminhamento para programas, equipamentos ou serviços. 3.Promover os direitos das crianças e jovens, prevenindo possíveis situações de perigo para a sua saúde, formação e educação; 4.Apoiar a inserção/reinserção profissional e de formação da população em situação de desemprego ou exclusão, em articulação com o IEFP e estabelecimentos de ensino
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Toda a comunidade

2. Serviço de acompanhamento integrado para comportamentos aditivos e dependências

1.Atendimento e acompanhamento integrado, visando responder às necessidades que o grupo da população com problemas aditivos apresenta, através da intervenção de um serviço de proximidade e territorializado, realizado por técnico/a com formação especializada na área dos comportamentos aditivos e dependências, tendo como principal potencialidade a promoção de um acompanhamento efetivo e sistemático dos sujeitos de atenção social. 2.Encaminhamento e acionamento dos recursos, numa lógica de trabalho em rede, em que a intervenção de cada instituição se complementa.
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa)

3. Cidadania em Movimento

Apoio a pessoas idosas em situação de dependência ou isolamento, tais como auxílio na higiene do lar, ao acompanhamento nas deslocações diárias, a pequenas reparações nas habitações e ao próprio convívio, essencial para combater a solidão, em articulação com as várias instituições locais; Identificação dos idosos e do tipo de ajuda necessitada com base no diagnóstico social, numa perspetiva de inclusão social; Promoção, aos membros desta ação, em idade ativa, de formação e desempenho de um papel relevante, quer para a sua própria inclusão social, quer para o regresso ao mercado de trabalho.
Destinatários preferenciais
Idosos, Adultos (população em idade ativa), Famílias, Pessoas com deficiência

4. Mercado Social

Dirigido à população carenciada, devidamente identificada pelo Serviço de Ação Social, permitindo a aquisição de bens (alimentares, vestuário, produtos de higiene pessoal, etc) através de créditos próprios, sem utilização de moeda, atribuídos de acordo com o agregado e as condições de cada família; Sustentabilidade garantida pelos acordos de parceria estabelecidos comércio local e entidades sociais locais, permitindo evitar o desperdício alimentar, aumentar a autoestima d cada beneficiário; Uma forma de ir mais além do que a regular oferta d cabazes e adaptada às necessidades de cada família
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade