N. 743/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

47.359,00 €

Valor de outros financiamentos

0,00 €

Valor total

47.359,00 €
Mapa de localização da candidatura

Mapa das candidaturas financiadas


Conservar Afetos Femininos

Urgem projetos na ligação entre a inovação social, o empreendedorismo e a intervenção social local. Visando os principais problemas dos territórios selecionados para intervenção, no âmbito da parceria da equipa deste projeto com o município de Matosinhos, aferimos que a monoparentalidade feminina é relevante (cerca de 88% dos agregados familiares), bem como o desemprego de longa duração, as baixas qualificações e os rendimentos precários. Historicamente, o município assenta numa longa tradição de comunidade piscatória e indústria conserveira. A grande maioria das operárias desse setor eram as mulheres que hoje compõem os territórios selecionados. Com histórias de trabalho árduo e adversidades, estas mulheres são parte da herança e da identidade de Matosinhos. Partindo desta importância e procurando atenuar as situações de fragilidade que hoje estas mulheres vivenciam, propomos um projeto vocacionado para o empreendedorismo, para a inovação social e para o empoderamento feminino.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Promover a sustentabilidade financeira, mobilizar conhecimentos, saberes e experiências das mulheres ligadas à indústria conserveira, residentes nos territórios selecionados com idades entre os 45 e os 75 ou mais anos, de modo a combater as vulnerabilidades sociais que as caracterizam. A inserção destas mulheres numa logica de economia circular, visando a criação de formas de rendimento ambiental e socialmente sustentáveis, bem como a exaltação das suas memórias, saberes e apetências, é o nosso foco. Na seleção dos territórios, na relação com a indústria conserveira, percebemos que o total de mulheres residentes nesses locais é claramente superior aos homens, contudo, estas permanecem como um segmento populacional invisível e descartado – frequentemente – das iniciativas locais, bem como das políticas públicas. Pelas vulnerabilidades sociais dos territórios, é pertinente investir na promoção/criação de redes de segurança, ao mesmo tempo que lhes conferimos independência económica.

Objetivo específico 1 e justificação

Visa o fortalecimento do sentimento de pertença e de comunidade, através da exequibilidade dos saberes e conhecimentos das mulheres visadas. Redes de apoio a par da exploração de memórias, vivências e experiências das mulheres, em relação à indústria conserveira, aos seus produtos, à sua história, e, face ao posterior desenvolvimento do município, podem possuir impactos extremamente positivos. Aliás, vários estudos o referem, especialmente no campo da saúde mental. Ao mesmo tempo, é relevante a elevada taxa de desemprego que assola o Município, bem como o facto de ser nos conjuntos habitacionais enunciados, que se verifica a maior predominância de agregados familiares dependentes do RSI. Deste modo, consideramos que a criação de uma rede de apoio, assim como a valorização dos discursos destas mulheres, é determinante no combate aos sentimentos de incapacidade, inutilidade e baixa autoestima que, consequentemente, impactam a vida social e a relação com o mercado de trabalho destas.

Objetivo específico 2 e justificação

Promover o empoderamento, a emancipação e o empreendedorismo feminino, através do fornecimento de ferramentas, plataformas e parcerias chave. A economia circular, a responsabilidade social e a inovação societal são, talvez, as pedras de toque das reflexões sobre a intervenção social. Efetivamente, temos como objetivo possibilitar a emancipação de mulheres residentes nos conjuntos habitacionais destacados, através da promoção da sua independência económica. Uma das fragilidades diz respeito aos baixos rendimentos, assim como à existência de situações de desemprego de longa duração. Deste modo, através da mobilização do “saber fazer” destas mulheres pretendemos conferir a possibilidade de as mesmas criarem uma marca própria, comerciável e geradora de receita económica. Pretendemos assim, uma intervenção a três níveis: nível individual, coletivo e territorial.

Objetivo específico 3 e justificação

Demonstrar a importância das vivências das mulheres, enquanto processos estruturais da criação de identidades coletivas, contrariando sentimentos de exclusão impostos por determinantes económicas. As mulheres, como pilares de união familiar, gerem frequentemente a economia doméstica e assumem o papel de cuidadoras, no entanto, são relegadas a um papel secundário. O facto do município se pautar por uma enorme presença de famílias monoparentais femininas (cerca de 88%), o uso das vivências destas mulheres, enquanto meio de rutura com as determinantes económicas que perpetuam os sentimentos e os discursos de exclusão social, é essencial. Entretanto, os conjuntos habitacionais são pautados pela presença de algumas crianças em idade escolar, daí que uma intervenção junto das mulheres, terá impacto na socialização de outras gerações. E, ao valorizar as vivências das mulheres, em certa medida, permitirá combater o isolamento dos idosos, também este, um problema estrutural dos territórios.

Objetivo específico 4 e justificação

Combater as taxas de desemprego visando a inserção das mulheres numa lógica de mercado de trabalho. A formação individual de capacitação e criação de uma marca própria (abordada anteriormente) é essencial. Vejamos, para o conjunto habitacional do Bairro dos Pescadores, são apenas oito as mulheres empregadas, mas do total de desempregadas somente três recebem subsídio. Para o conjunto habitacional da Biquinha (1ª, 2ª, 3ª, Ant. e N.), são 182 as mulheres que se encontram desempregadas e sem subsídio. Por fim, para o conjunto habitacional de Carcavelos (I e II), 66 é o número de mulheres desempregadas sem subsídio e 9 as que estão relegadas à condição de doméstica. Mais, os baixos valores relativos à empregabilidade feminina reforçam a necessidade de intervenção neste sentido. Entretanto, as mulheres que se encontram empregadas possuem na sua maioria empregos precários e com baixos rendimentos.

Objetivo específico 5 e justificação

Promover a formação individual e coletiva das mulheres, numa vertente prática com vista ao retorno financeiro. A formação complementar e o contacto com novas realidades são de extrema importância para o fomento do desenvolvimento pessoal e coletivo. Com base no diagnóstico social de Matosinhos, no conjunto habitacional Bairro dos Pescadores, foram identificadas 5 mulheres analfabetas e 13 possuem o 1º ciclo do ensino básico incompleto. No conjunto habitacional da Biquinha (1ª, 2ª, 3ª, Ant. e N.), verificámos a presença de 59 mulheres analfabetas, e, por fim, para o conjunto habitacional de Carcavelos (I e II) existem cerca de 34 mulheres analfabetas. Ainda que estes dados não estejam discriminados por faixas etárias, é preocupante, constatar na atualidade estes números, não só no caso do analfabetismo, mas também no 1º, 2º e 3º ciclos incompletos. Estes eixos fazem com que a mulheres se assumam como um grupo vulnerável, demonstrando a necessidade de intervenção na formação das mesmas.

Parceria local

Promotora

AGIR PELO PLANETA - ASSOCIAÇÃO PRO AMBIENTE

Parceira

Câmara Municipal de Matosinhos
MatosinhosHabit
Unidade Local de Saúde de Matosinhos EPE
Universidade do Porto - Faculdade de Letras
Junta de Freguesia de Matosinhos e Leça da Palmeira
Sonoscopia Associação cultural
Leixões Sport Club
Conceição Milhazes - Moradora Bairro dos Pescadores (Grupo Informal)
Maria Paquete - Moradora de Carcavelos (Grupo Informal)
Grupo Informal Bairro Carcavelos - Eduardo Paquete
ANICP

Território(s) de intervenção

1. Conjunto Habitacional Bairro dos Pescadores

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 5. Programa Nacional de Vacinação
Taxa de cobertura vacinal do Programa Nacional de Vacinação, atualizado para a idade, inferior a 95 %
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

2. Conjunto Habitacional Biquinha (1ª, 2ª, 3ª, Ant, N)

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 5. Programa Nacional de Vacinação
Taxa de cobertura vacinal do Programa Nacional de Vacinação, atualizado para a idade, inferior a 95 %
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

3. Conjunto Habitacional Carcavelos (I e II)

Matosinhos e Leça da Palmeira, Matosinhos
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 5. Programa Nacional de Vacinação
Taxa de cobertura vacinal do Programa Nacional de Vacinação, atualizado para a idade, inferior a 95 %
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Conservar afetos femininos através de story telling (podcasts).

Fortalecimento do sentimento de comunidade com a partilha de memórias, vivências e experiências. As sessões de story telling surgem como uma ferramenta de comunicação e criam relação afetiva com os recetores. Fomentam o sentimento de comunidade através da partilha de histórias, com “trejeitos” linguísticos na primeira pessoa. Ao mesmo tempo damos a conhecer parte da história e da identidade do município, especialmente no que concerne à indústria conserveira. Estas sessões gravadas serão divulgadas através de plataformas digitais, como o Soundcloud e redes sociais.
Destinatários preferenciais
Mulheres

2. “Conservar afetos femininos” - em documentário, registo de memórias.

Um documentário, de índole sócio histórica, pertinente para o fomento das identidades e sentimento de pertença aos territórios. A imagem e a palavra gravadas perduram no tempo e preservam/conservam afetos e as suas histórias – em que as mulheres da indústria conserveira (inativas) dos territórios selecionados são as protagonistas, contribuindo também no desenvolvimento do guião. Este é um meio de manter viva a memória, de a divulgar e partilhar, conferindo visibilidade aos territórios, afastando-os do lugar invisível em que se encontram. Poderá ser integrado no Museu da Indústria Conserveira.
Destinatários preferenciais
Mulheres

3. Conservar afetos femininos com workshops na partilha de saberes.

Destaque para as experiências de vida das mulheres, com propostas de workshops centrados em temáticas, definidas pelas mesmas. Ao longo de um mês, cada uma delas seria a formadora de outras mulheres e/ou homens, partilhando saberes específicos que tenham adquirido das suas vivências. Os workshops gravados e realizados dentro e fora dos conjuntos habitacionais, quebram com a estigmatização e a divisão territorial que muita vez pauta estes contextos. Para esta atividade, a Câmara de Matosinhos e a FLUP desempenham um papel essencial de divulgação dos mesmos.
Destinatários preferenciais
Mulheres

4. Conservar afetos femininos com sustentabilidade ambiental.

Em parceria com o Departamento de Ambiente da CMM e outras entidades, serão realizadas ações de (in)formação às mulheres: Upcycling - reutilização criativa, Alimentação sustentável e sem desperdício, Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade, etc. Estas, com poucos recursos, munidas por ideias e técnicas, incorporadas aos seus saberes, podem desenvolver e aperfeiçoar competências, mesmo na obtenção de lucro. Portadoras de sensibilização ambiental dão rumo a um bairro mais saudável e promovem bem-estar. Combate-se o isolamento e dificuldades em perspetivar o futuro (diagnóstico social).
Destinatários preferenciais
Mulheres

5. Conservar afetos femininos em evento promocional.

O evento demarca o antes e o depois do projeto. Divulgar o projeto aos media - documentário, podcasts (story telling) e audiolivro. Os workshops (anteriores) resultam em produtos variados que são expostos e vendidos diretamente. A ajuda das conserveiras Pinhais & Companhia Lda e Portugal Norte (já confirmadas) com latas de conservas, para que estas sejam vendidas com marca própria das mulheres, acompanhadas por excertos de histórias de vida. Oportunidade para partilhas com a comunidade, visando o próximo evento. Os produtos serão vendidos no mercado, no museu, em lojas variadas e on-line.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

6. Conservar afetos femininos em audiolivro.

O audiolivro resulta da compilação dos relatos de vidas e das atividades atribuídas neste projeto às mulheres. As memórias não se pautam apenas pela fala, mas também pelos sons das cidades e das casas, das indústrias e dos trajetos. A Sonoscopia explorará também todos os sons associados às vivências das mulheres da indústria conserveira, com vista à criação de um projeto musical a integrar no audiolivro. Este é vendido nos postos de turismo, em lojas locais, na indústria conserveira, em diferentes plataformas digitais e no futuro museu.
Destinatários preferenciais
Mulheres