N. 785/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

50.000,00 €

Valor de outros financiamentos

126.000,00 €

Valor total

176.000,00 €
Mapa de localização da candidatura

Mapa das candidaturas financiadas


Registos

Raízes Baobá

Raízes Baobá, é um projeto de intervenção transversal aos vários eixos disponíveis na candidatura, num território onde residem mais de 1000 pessoas e 280 famílias, na sua quase totalidade provenientes de movimentos migratórios dos PALOP. O modo de habitar é radicalmente precário, as construções são improvisadas. Tanto o abastecimento de água como o de electricidade, sucedem de uma forma não contratual, por iniciativa dos moradores. A rede de esgotos é improvisada, com ligações pontuais à rede pública. A organização urbana do território não oferece qualquer segurança em termos de saúde pública, nem proteção contra desastres naturais ou outro tipo de acidentes. É uma comunidade marcada pela pobreza, exclusão social e dificuldade de acesso a serviços e direitos sociais. Pretende-se melhorar os determinantes em saúde, através de projetos articulados onde seja intrinseca a participação ativa da comunidade. População e parceiros revelam dinamismo e abertura à auto transformação.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

O território é elegível em praticamente todos os critérios, daí que a sua intervenção tenha que ser globalizante. Pretende-se capacitar a população e as instituições para novos modelos de trabalho comunitário que concorram para a melhoria global dos determinantes económicos, sociais, urbanísticos, ambientais e culturais da saúde. No fim da vigência do projeto, deveremos ter uma comunidade mais resiliente, preparada para a inclusão económica e social, dotada de instrumentos para a prevenção de comportamentos de risco, reforçando valores de evolução e transformação às gerações supervenientes. Coordenar todo um conjunto de medidas de competências institucionais várias, cuja interceção e articulação potenciem a mitigação e resolução de problemas estruturais que tardam em ser atendidos. Tendo por referência o potencial cultural desta população, incrementar ações criadoras de rendimento e/ou de reforço da economia familiar, sustentáveis num futuro e que fomentem a criação de emprego.

Objetivo específico 1 e justificação

Elevar a cobertura das respostas em saúde para 95% da população, na qual se revela dificuldade de acesso, dada a situação de cidadania de setores da comunidade. Aumentar a literacia em saúde, proporcionando o envolvimento e formação de 10 agentes de saúde pública entre a população do bairro, como estratégia de difusão de informação e alteração de comportamentos de risco. Reforçar a saúde de proximidade através de: campanhas de vacinação e outras, informação/sensibilização sobre doenças não transmissíveis, adições, saúde pública e ambiental. Através do reforço da intervenção da unidade móvel "Saúde Sobre Rodas", em matéria de profissionais e outros recursos, integrando os agentes da população já formados, elaborar um plano global de melhoria dos determinantes em saúde. Metodologia de ação para o encaminhamento de situações de alcoolismo e saúde mental.

Objetivo específico 2 e justificação

Criar organizações de suporte à autonomia dos moradores - Cooperativa. Difundir e mediatizar as atenções do mainstream sobre o território, valorizando os aspetos positivos do mesmo, melhorando a imagem do bairro. Comunidade com referências culturais diversas - a potenciação dessa característica contribuirá para a coesão social. Reforçar a coesão social e promoção da cidadania através de iniciativas que incentivem a autonomia, o reforço comunitário da identidade comunitária e das relações de vizinhança, gerando o empoderamento das pessoas. Este objetivo assume-se em articulação com o de âmbito económico, já que, as respetivas ações se entrecruzam. Proporcionar o auto-apoio alimentar através da qualificação/criação de hortas urbanas. Promover a venda in loco ou em circuitos curtos para melhorar a situação socioeconómica das famílias. Criação de um serviço de apoio à regularização da situação de cidadania. Reforçar os meios de apoio ao estudo e articulá-lo com o projeto.

Objetivo específico 3 e justificação

Capacitar grupos da comunidade para participação empreendedora, disponibilizando instrumentos de organização e planeamento para a sua integração no sistema produtivo. Criação de uma cooperativa que abarque um conjunto de ações de capacitação para uma maior autonomia financeira da população, e que integre mercados de produtos agrícolas biológicos, produtos de confeção artesanal e objetos recuperados e/ou reciclados, gastronomia. Elaboração e gestão de um site de profissionais e de vendas de produtos. Criação de postos de trabalho e de formas alternativas de rendimento. Reforçar a economia familiar através dos produtos obtidos pelas hortas urbanas, dotando-as de materiais, referenciais técnicos e equipamentos com vista à sua rentabilização.

Objetivo específico 4 e justificação

Sendo a Quinta das Lagoas - Santa Marta, um bairro de genética "clandestina", de características radicalmente improvisadas, em solo ocupado, tem vindo a agudizar um núcleo de problemáticas, com consequências de elevado risco para a saúde pública e ambiental da comunidade. Assim, pretende-se estabelecer uma parceria com as entidades públicas com competência técnica na matéria e capacidade de investimento, com o objetivo de se planear uma intervenção de melhoria da qualidade ambiental, nas seguintes manchas críticas: pontos de rutura nas redes precárias de saneamento e de abastecimento de água, profusão de cabos elétricos que constituem uma teia apertada por sob as habitações impedindo a introdução de máquinas e equipamentos, depósitos volumosos de resíduos sólidos (ferro velho) utilizados para fins comerciais. Pretende-se o envovimento e participação da Associação de Moradores, com a colaboração do ACES - Saúde pública, para a promoção de comportamentos verdes no seio da comunidade.

Objetivo específico 5 e justificação

O Bairro caracteriza-se por uma amálgama de construções na sua grande maioria em alvenaria, sem qualquer organização interna, de fluxos de circulação de zonas comuns e de equipamentos. As redes eléctricas, de saneamento e abastecimento de água são improvisadas. Perante um quadro caótico construtivo, não se vislumbrando uma erradicação do mesmo para realojamento a médio trecho, urge diagnosticar de forma tecnicamente competente o estado geral do bairro, tendo por referência o estudo da viabilidade da reconversão de algumas zonas e da melhoria das acessibilidades e dos espaços comuns. Este é um objetivo de continuidade no tempo e assentará numa parceria com a faculdade de arquitectura através do apoio de estudantes dessa área. O ambiente urbano e o modus vivendis desta comunidade é em tudo semelhante a uma tabanka caboverdiana, pelo que, introduzindo significativas melhorias, traria maior qualidade de vida e satisfação dos seus habitantes.

Parceria local

Promotora

Santa Casa da Misericórdia do Seixal

Parceira

ACES Almada Seixal
Municipio do Seixal
Junta de Freguesia de Corroios

Território(s) de intervenção

1. Quinta das Lagoas - Rua C (Bairro de Sta. Marta)

Corroios, Seixal
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Exiguidade do espaço habitável
Desadequação severa dos espaços comuns
Deficientes condições de acesso ao abastecimento de água, saneamento e energia, designadamente em áreas de génese ilegal
Ventilação e iluminação solar insuficientes ou baixo conforto térmico e acústico
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Pessoas indocumentadas, requerentes de asilo, refugiados, apátridas ou em condições semelhantes
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de condições de mobilidade e transporte
Falta de documentação ou barreira linguística
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Programa de Promoção da Literacia em Saúde

Elenco de atividades articuladas cujo objetivo é o de elevar a capacidade dos intervenientes em fazer escolhas/adoção de comportamentos e estilos de vida saudáveis, que melhorem o seu estado global de saúde ao nível individual, familiar e intracomunitário. Para tal, a parceria com o ACES e com o HGO é fundamental, potenciando a Unidade móvel de Saúde já existente, adquirindo uma nova unidade, com apoios locais e alargando o número de horas dos profissionais de saúde afetos. Realização de campanhas, sessões, dramatizações de proximidade, com a participação de agentes da comunidade e voluntários
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

2. Formação de Dinamizadores em Saúde Pública

Seleção e formação de 10 elementos da população, administrando competências básicas na área da promoção da saúde pública, com o objetivo da difusão de informação essencial para a adoção de comportamentos e atitudes responsáveis, entre a comunidade do bairro. Em articulação com a atividade do fórum comunitário "Saúde Baobá", os agentes terão como missão ajudar a pôr em prática as decisões emanadas no mesmo, colaborando na organização dos moradores no sentido atrás descrito.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

3. Saúde "Baobá"

Criação de um fórum de participação para a saúde comunitária, liderado pela associação de moradores raízes, integrada por profissionais do social e da saúde. O Forum participativo pretende ser um espaço de partilha comunitária, sobre questões da promoção de saúde e da saúde pública e ambiental, procurando resolver problemas que se situem ao alcance dos moradores, ainda que com a colaboração das várias entidades parceiras. serão utilizadas metodologias de participação ativa, observando as regras e recomendações para prevenção da COVID. O Fórum é o centro aglutinador de todo o projeto.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

4. Plano de Saúde Local - "Pela Saúde de Santa Marta"

Elaboração de um diagnóstico e plano geral sobre as necessidades em saúde da comunidade se Santa Marta, propondo medidas adotáveis já em 2021, designadamente a metodologia de vacinação Covid, bem como, apontando recursos a mobilizar em termos de políticas públicas em saúde. Este plano será discutido no fórum e integrará propostas da população alvo e analisado pelo ACES, com o propósito da viabilização das medidas propostas, exequíveis, com os recursos existentes, tratando-se amíude da flexibilização de procedimentos, práticas organizativas e atos administrativos.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

5. Saúde Sobre Rodas em Santa Marta

Repensar o funcionamento e as valências da unidade móvel "Saúde Sobre Rodas" para a comunidade de Santa Marta, aproximando-as ao contexto actual de pandemia e pós pandemia. Dotar o mesmo de uma nova viatura, considerando que a atual se encontra obsoleta. Para tal, torna-se imprescindível a parceria da Câmara Municipal do Seixal com vista à sua aquisição e posterior manutenção, e do ACES Almada Seixal para a sua dinamização. Como já aflorado, a questão da vacinação COVID-19, implica uma abordagem ao terreno com particular acuidade numa área considerada sensível e desafiante em termos de saúde.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

6. S. Marta XXI

Diagnóstico e intervenção sobre as áreas críticas de salubridade e segurança: Intervenção para resolução das situações de esgotos a céu aberto. Retirada de concentrações de entulho e ferro velho e outros materiais prejudiciais à saúde pública. Redefinição de circuitos de recolha de resíduos sólidos. Remoção de construções obstaculizantes da circulação e da segurança. Definição de um corredor para circulação de veículos prioritários. Securizar a instalação eléctrica geral nos pontos críticos. Proposta de reformulação da linha de abastecimento de água. É fulcral a colaboração da C.M.Seixal.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

7. Cooperativa Raízes

Capacitar grupos da comunidade para participação empreendedora, disponibilizando instrumentos de organização e planeamento para a sua integração no sistema produtivo. Criação de uma cooperativa que abarque um conjunto de ações de capacitação para uma maior autonomia financeira da população, e que integre mercados de produtos agrícolas biológicos, produtos de confeção artesanal e objetos recuperados e/ou reciclados, gastronomia. Elaboração e gestão de um site de profissionais e de vendas de produtos. Criação de postos de trabalho e de formas alternativas de rendimento.
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Migrantes

8. "Mercado da frescura"- Cooperativa Raízes

Criação de um mercado local e/ou numa banca no mercado de Corroios, para venda dos produtos hortícolas cultivados nas hortas comunitárias e de outros produtos de origem africana que já são vendidos na comunidade sem o devido tratamento regulamentar e ainda dos objetos fabricados nos vários ateliês - esta será uma das áreas de gestão da "Cooperativa Raízes". Para o desenvolvimento desta atividade é imprescindível a parceria da Junta de Freguesia de Corroios. Será necessário adquirir expositores e outros equipamentos de proteção com verbas do projeto. Criação de um imagótipo.
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres

9. "RE-CICLA-MENTE" - Oficina de Reparações - Coop. Raízes

Criação de um atelier/oficina de reparação, reciclagem e pequenas reparações no domicílio de moradores e comunidade envolvente. Reparação de bicicletas, pequenos eletrodomésticos e móveis para venda à comunidade envolvente através das redes sociais. Pretende-se envolver 10 pessoas directamente e 20 pessoas indirectamente. Para além do objetivo ecológico e de geração de rendimentos, o desenvolvimento social é o mais importante. O "RE-CICLA-MENTE", tal como o nome indica, será um espaço de acolhimento, ocupação e reabilitação de pessoas com comprometimentos ao nível da saúde mental.
Destinatários preferenciais
Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade

10. "Trapo&Panu" - Oficina de artes da costura - Coop. Raízes

Criação de um ateliê/oficina de artes de costura para aprendizagem e confeção de produtos tradicionais africanos e outros, promovendo a respetiva venda em suportes digitais. Reaproveitamento de materiais usados. Pretende-se envolver um grupo de pessoas desempregadas e com necessidades emocionais/relacionais específicas. Para além dos objetivos, cultural e ecológico e de geração de rendimentos, o desenvolvimento pessoal e ocupacional surge também com importância relevante. Realização de uma imagem de marca, considerando os fins comerciais.
Destinatários preferenciais
Jovens, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Pessoas com deficiência

11. Espaço de Cidadania no Bairro

Criação de uma extensão do "Espaço Cidadania" da Câmara Municipal do Seixal nas instalações do Centro Comunitário com funcionamento mensal, para encaminhamento e/ou resolução de questões de legalização e outros. Denotou-se um agravamento dos constrangimentos relacionados com a cidadania e respetiva documentação, por dificuldades de mobilidade da população e da atual crise pandémica.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

12. Espaços Falados

Realização de reuniões e sessões temáticas em grupos reduzidos sobre questões fraturantes, tais como: violência doméstica e no namoro, igualdade de género, raciscmo e xenofobia, cyberbullying, direitos laborais, leis de imigração, sexualidade e contraceção, adições tecnológicas, etc. Os conteúdos resultantes destes espaços falados, serão utilizados nas diversas campanhas que irão decorrer.
Destinatários preferenciais
Jovens, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Migrantes, Toda a comunidade

13. Plataforma de profissionais e vendas - "Humanos de Sta. Marta"

Criação de uma montra virtual (página nas redes sociais) com duas valências: divulgação de serviços e profissionais residentes na comunidade de Sta. Marta e promoção e venda de produtos provenientes das atividades Q4; 8, 9 e 10. Haverá espaço para convite à integração de outras pessoas, fora do bairro, de forma a tornar o projeto mais inclusivo. Serão criados perfis profissionais, cuja a integração de um cunho personificado, trará o contributo necessário para a descoberta destes profissionais com uma situação laboral precária.
Destinatários preferenciais
Jovens, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Pessoas com deficiência

14. Feira de ementas saudáveis com receitas africanas

Realização de um momento de interação e partilha cultural, mediatizado pela cozinha tradicional africana, onde os profissionais do ACES contribuiriam para alteração de melhorias na receita, por forma a torná-la mais saudável. Pretende-se que seja realizada no bairro e organizada com o apoio da empresa DELPHI e dos seus trabalhadores. Esta ação será um culminar desta primeira fase do "Raízes Baobá", com um pequeno espaço de balanço e conclusões, integrando toda a parceria e a própria rede social mais alargada.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

15. Estudo de viabilidade de reconversão/reabilitação urbanística de Sta. Marta

Não estão previstos investimentos, que venham a alterar a situação habitacional daquele aglomerado. Importante salientar, que dentro da amálgama autoconstrutiva, figuram habitações de qualidade razoável e interessante até, quando foram reutilizados materiais, que de uma forma criativa, cumprem com eficiência a sua função. Cientes de que as regras urbanísticas são rígidas e até cegas perante alternativas, a parceria com a Faculdade de Arquitetura para a realização de uma análise, seria importantíssima a para a "credibilização" de eventuais medidas de reconversão urbana a adotar.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

16. Saúde em movimento

Reforço das ações já realizadas, tais como; capoeira, judo, ginástica, dança, batuque, dotando-as de melhores recursos logísticos, promovendo o seu alargamento a outras faixas etárias da população. Estas modalidades, são um forte contributo para a promoção da saúde, pela atividade física, da coesão social, pela interação, e do autoconceito, pelas partilhas em atuações no exterior. Desenvolver parcerias informais com ginásios locais, promovendo e dando a conhecer à comunidade, a prática de outras modalidades.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

17. "A terra a quem (a)colhe" - Agricultura Urbana Comunitária

Requalificação das hortas espontâneas existentes no interior e na periferia do bairro, dotando-os de recursos e competências técnicas, por forma a aumentar a sua produtividade, assim como, elevando o seu estatuto na paisagem. Criar uma horta comunitária de raiz, enquadrada na atividade da Cooperativa Raízes, tecnicamente virada para o mercado de produção biológica. Pretende-se reaproveitar terrenos municipais na envolvente, atualmente depositários de resíduos, contribuindo para amplificar a pegada verde na paisagem.
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade