N. 775/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

50.000,00 €

Valor de outros financiamentos

0,00 €

Valor total

50.000,00 €
Mapa de localização da candidatura

Mapa das candidaturas financiadas


Rua Mais

O Bairro de Santana, tal como muitos outros bairros de cidades viradas para o mar, com o desaparecimento das ocupações e meios de subsistência relacionados com a pesca, os que não se converteram ao turismo são agora subúrbios insalubres partilhados pelos aglomerados de edifícios, que servem apenas como dormitórios, e ruas para estacionar automóveis. O último oásis deste bairro é um pequeno largo onde habitam as duas únicas árvores em milhares de metros quadrados de betão e alcatrão. Neste largo começámos a recuperar o espaço público, protegendo a parca natureza que ainda existe, limpando e propondo melhoramentos à comunidade e autarquia, facilitando a discussão entre todos, apoiando e promovendo os negócios locais e disponibilizando ferramentas e espaço de partilha aos residentes. Conseguimos muitos aliados que sentem agora confiança que é possível melhorar as nossas ruas e este apoio vai-nos permitir torná-las inspiração para o resto da cidade que está atenta ao que estamos a fazer.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Transformar o Bairro de Santana num bairro modelo que inspire e apoie a transformação de outros bairros na cidade (e cidades) através da participação ativa dos seus habitantes. Nestes últimos 2 anos foi iniciado um processo que envolveu a abertura de um espaço laboratório aberto a qualquer pessoa que precise de um lugar para desenhar e construir as suas ideias e que já é casa de dezenas de projetos liderados por membros da comunidade. Este projeto que veio dar nova vida a umas lojas devolutas há mais de 20 anos teve sempre como intenção alargar o seu impacto ao bairro e à cidade. Demos início a conversas e atividades com os vizinhos que nos permitiram detetar quais as maiores necessidade e desejos, e através de pequenas ações demonstrámos o efeito que podem ter na nossa vida: ruas mais limpas, mais bonitas, mais vivas. Desde então observámos uma evolução na forma como as pessoas voltaram a relacionar-se entre elas e com o espaço público e uma sensação de confiança e optimismo.

Objetivo específico 1 e justificação

Desenvolver as capacidades de organização e co-criação com a comunidade com base na colaboração, na ética e na sustentabilidade. A melhor maneira de criar impacto positivo que perdure e que responda às reais necessidades das pessoas é através do envolvimento profundo de um grupo diverso de participantes. As pessoas não estão habituadas a isto e é frequente o sentimento de desconfiança em relação a iniciativas que venham “de cima” porque não têm acesso à informação ou ao processo de tomada de decisão, porque não têm autonomia para agir e contribuir e porque não são criadas formas de integrar feedback e incrementação progressiva de melhorias. Na nossa comunidade temos especialistas nas áreas do design thinking e gestão de projeto colaborativa e vamos utilizar as metodologias e ferramentas mais eficazes para promover o acesso aberto, a distribuição de poder, e o desenvolvimento sustentável.

Objetivo específico 2 e justificação

Melhorar o espaço público e proporcionar uma utilização saudável do mesmo com ações para requalificar espaços comuns, expandir e renovar espaço verdes e explorar novas formas de utilizar e experienciar a rua. A conexão com o espaço público é difícil de recuperar pois à medida que se vai deteriorando temos tendência a investir cada vez mais nos nossos espaços privados passando a usar a rua como uma mera comodidade e descartando-nos de qualquer responsabilidade no seu cuidado. Refugiamo-nos em casa quase com medo de abrir as janelas para o espaço exterior perdendo qualquer relacionamento positivo com a rua e com os vizinhos. Este período de pandemia que nos obriga ao confinamento veio ainda exacerbar os efeitos na nossa saúde física e mental por não termos acesso a espaços ao ar livre perto das nossas casas. O Bairro de Santana tem um largo de calçada, duas árvores e dois bancos de jardim e esta é basicamente a única área útil à vivência do bairro. Queremos melhorá-lo e alargá-lo.

Objetivo específico 3 e justificação

Desenvolver e gerir recursos e ferramentas acessíveis a todos por forma a permitir a criação e a manutenção de soluções para o bairro, para a vida das pessoas e seus projetos. Muitas vezes um grande impedimento no desenvolvimento de soluções e na continuidade das mesmas é não termos acesso a ferramentas e conhecimentos técnicos. Com os reduzidos meios da população o mais normal é limitarem-se ao pouco que tiverem, adquirirem coisas com baixa qualidade e não partilharem com medo que se estrague ou desapareça. Sistemas de partilha no bairro como as bibliotecas das coisas, oficinas partilhadas e espaços de coworking podem, para além de incentivar a inovação e autonomia, permitir a troca de conhecimentos e a criação de novos relacionamentos. O acesso a este tipo de recursos vai contribuir também para a sustentabilidade das iniciativas que forem criadas e para a continuação do seu desenvolvimento. Mais, irá promover hábitos de partilha, responsabilidade social e ecologia.

Objetivo específico 4 e justificação

Incentivar a partilha de capacidades e aprendizagens de forma a desenvolver os negócios existentes, novos projetos e promover a diversidade cultural. Todas as terras têm as suas atrações mas o mar tem mais. Para aqui migraram gentes de todos os lados em busca de melhores condições de vida por via das ocupações relacionadas com o mar, o resultado é uma pluralidade cultural que ainda hoje se debate com as suas diferenças. Atualmente os atrativos do território são outros mas o seu alcance é muito mais global e ao mesmo tempo mais contrastante. Detectamos a vontade de quem se desloca para aqui, temporariamente ou definitivamente, de socializar de forma mais autêntica e de contribuir localmente. E pretendemos tirar partido disso, estimulando a cooperação entre grupos diversos e a criação de atividades que sustentem a partilha de conhecimentos, experiências culturais e o comércio.

Objetivo específico 5 e justificação

Comunicar o desenvolvimento do projeto de forma clara e transparente e em formatos variados para que possibilite a participação o mais diversa e útil possível e promova os objetivos do projeto e as iniciativas resultantes. O sucesso de qualquer iniciativa está diretamente ligado à qualidade da comunicação dentro da organização e com a audiência mais alargada. No nosso estilo de organização descentralizada propomos que as próprias atividades de gestão do projeto sejam abertas ao público e permitam um maior envolvimento e confiança e para isso criamos canais abertos para discussão e tomada de decisão, gestão de tarefas e documentação. É nosso objetivo disponibilizar a informação da forma mais acessível e permitir a participação o mais inclusiva possível. Adicionalmente queremos documentar as aprendizagens do projeto e disponibilizá-las abertamente e criar ferramentas de utilização livre que possibilitem a replicação de boas práticas e metodologias.

Parceria local

Promotora

Clube Lazer Sant'Ana
Colabrocks - Associação para a Ativação Comunitária
Núcleo Matéria Cíclica

Parceira

Carolina Veigas
Patrícia Gouvêa Aguiar Rocha
Lis Ramírez
Paulo Caldas
Carlos Alberto
Mariana Duarte
Alexandre Jorge
Maria Mendes
Lúcio Garcia
António Serrano
Maria Celeste Serrano
Aureliana Martins
João Pinheiro
Bruno Silva
Jana Knollova
Luísa Louseiro
Domingos Bandeira
Luís Jorge
Luís Faria
Luísa Inês
Maria Albina Silva
Fernando Silva
Jacinto Trindade
Pedro Camilo
Leonardo Khaled
Gui Guincho
João Petinga
Rodrigo Gregório
Débora Domingues
Nádia Carimo
Joana Martins
Leandro António Nunes
Ana Isabel Santos
Susana Cecílio
Cristovao Gregorio
Rafael Rico
Thasys Santos
Fátima Mota

Território(s) de intervenção

1. Bairro de Santana

Peniche, Peniche
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Desadequação severa dos espaços comuns
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de condições de mobilidade e transporte
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Biblioteca das Coisas: Implementar um sistema (Library of Things) de empréstimo e aluguer de ferramentas e equipamentos que irá proporcionar uma maior autonomia e sustentabilidade na comunidade

Uma biblioteca das coisas é uma plataforma que permite à comunidade ter acesso a uma extensa variedade de ferramentas e equipamentos. Combate o consumo de produtos que só são utilizados pontualmente, facilita a partilha e promove a responsabilidade social. É também a base de recursos que vai fornecer as outras atividades propostas. Pretendemos divulgar o conceito, adquirir ferramentas e equipamentos, e criar o sistema de gestão. Para que o projeto seja o mais sustentável possível, queremos também angariar parceiros que viabilizem a manutenção e continuação do projeto.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

2. Makerspace: Montagem de uma oficina partilhada que possibilite a criação de produtos, a reparação e a manutenção de equipamentos dos projetos locais

Temos uma oficina rudimentar que serve para pequenas experiências e arranjos, mas queremos aumentá-la e equipá-la melhor por forma a permitir uma maior diversidade de utilizações, tais como a criação de novos produtos, a formação de aptidões técnicas e a manutenção dos projetos do bairro. Esta oficina irá também habilitar os membros da comunidade e viabilizar ações de promoção de reutilização de materiais e reparação de equipamentos, reduzindo assim o impacto ambiental e as despesas dos projetos.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

3. Consultório aberto: Montagem de um consultório aberto para as ideias da comunidade

Num ambiente normal organizaríamos muitos eventos e reuniões com os vizinhos, mas com as limitações que a COVID-19 impõe temos de ser mais criativos e arranjar alternativas às atividades com grandes grupos. Uma das soluções que queremos implementar é um consultório no largo, onde as pessoas podiam marcar (ou só aparecer) para mostrarem as suas ideias enquanto uma equipa as documentava para partilhar e discutir a sua possível implementação. Este consultório estaria aberto durante todo o processo do projeto num horário estipulado.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

4. Horta comunitária: Desenvolver uma horta comunitária para produzir alimentos saudáveis e proporcionar momentos de lazer

Temos uma área devoluta no bairro que está muito degradada, atrai utilizações clandestinas e, devido à proximidade de residências, cria tensões entre grupos. Esta é uma área privilegiada do bairro pela sua localização e já temos uma apreciação positiva por parte da autarquia para a sua reabilitação. Uma das soluções que apresentamos é a implementação de uma horta comunitária devido aos muitos benefícios para a comunidade; fornece alimentos saudáveis, aumenta o número de atividades que proporcionam o bem estar e criam oportunidades de aprendizagem e sentimento de comunidade.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

5. Workshops de co-criação: Organizar workshops de co-criação e organização colaborativa para habilitar a comunidade com as capacidades necessárias e desenvolver o projeto

Como parte do nosso processo participativo vamos organizar uma série de workshops ao longo do projeto para desenvolver as capacidades de organização e co-criação dos membros da comunidade. A intenção é partilhar formas mais distribuídas de liderança e coordenação e disponibilizar ferramentas e processos para uma organização mais colaborativa. Ao mesmo tempo criamos novas oportunidades de desenvolvimento pessoal que podem contribuir para novas ocupações e projetos.
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Pessoas com deficiência

6. Bairro mais limpo: Melhoramento das condições de limpeza e promoção de cultura de cuidado do espaço comum

O sentimento de apropriação e responsabilidade pelos espaços que partilhamos depende do relacionamento que temos com os mesmos e dos exemplos que nos são propostos. As pessoas devem sentir orgulho pelos espaços que habitam de forma a adotarem hábitos e comportamentos de cuidado que irão transmitir entre elas. No nosso bairro já praticamos limpezas rotativas e pequenos melhoramentos de forma autónoma e isso está a ter um impacto positivo. Queremos ir mais além e melhorar os espaços dos contentores do lixo e realizar campanhas de partilha de boas práticas.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

7. Bairro mais verde: Criação de novas áreas verdes e melhoramento das existentes de forma a proporcionar espaços mais saudáveis e confortáveis

Pretendemos plantar o máximo de árvores que nos seja recomendado através de um estudo que nos informe da quantidade ideal, tipos de árvore indicados e capacidade de manutenção. Adicionalmente iremos plantar outras plantas úteis para a qualidade do ambiente, conforto e embelezamento. Queremos também experimentar instalar zonas com plantas comestíveis e árvores de fruto. A nossa abordagem irá passar por um processo de experimentação onde faremos instalações temporárias para testar a sua viabilidade. Iremos explorar também formas de criar responsabilidade e motivar o cuidado pela comunidade.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

8. Bairro mais seguro: Melhorar a segurança, a mobilidade e o conforto do bairro através do redesenho colaborativo das nossas ruas

Tal como muitas ruas de tantas cidades, as nossas foram desenhadas com os automóveis em mente ou adaptando-se a essa realidade ao longo dos tempos. Passeios reduzidos, estacionamento desordenado, mobiliário urbano precário ou inexistente, trânsito sem regulação. Em conjunto com a autarquia queremos testar e implementar soluções que proporcionem maior segurança e acessibilidade à mobilidade suave e/ou condicionada. Vamos também desenhar e produzir localmente mobiliário urbano adaptável que crie maior conforto e favoreça comportamentos benéficos criando o mínimo de transtorno.
Destinatários preferenciais
Crianças, Idosos, Famílias, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade

9. Bairro mais sustentável: Desenvolvimento de campanhas e atividades para promover o desperdício-zero, a compostagem e a reciclagem

A sustentabilidade assenta numa gestão estratégica dos recursos à nossa disposição que tão desastrosamente passam despercebidos na correria do dia-a-dia. Em conjunto com Núcleo Matéria Cíclica, tencionamos organizar campanhas que sensibilizem a comunidade para a identificação desses recursos, para que sejam convertidos em atividades mais sustentáveis, como: voltar à compostagem (tratar, produzir e utilizar na Horta comunitária e jardins); reciclar, transformar e recuperar materiais electrónicos para aprender;redução do consumo desnecessário, de uso descartável e redução do desperdício.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

10. Bairro mais saudável: Organização de uma série de workshops sobre boas práticas de saúde e alimentação saudável

Ao participar na vida do bairro diariamente criam-se relações próximas, atentas e dedicadas ao cuidado do outro, do espaço comum, e adopta-se uma nova perspectiva própria Tudo isto se reflete no bem estar do bairro. Queremos desenhar, planear e organizar uma série de workshops que promovam o cuidado pessoal e com o outro, o bem estar comum, atentos aos temas: Boas práticas e Cuidados de Saúde, Primeiros Socorros - Suporte Básico de Vida, Alimentação Saudável, Alimentos improváveis, Mini-Hortas em casa, Plantas e Saúde, Gestão Familiar e de Recursos.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

11. Bairro mais ativo: Reabilitação e criação de novos espaços para a atividade física no bairro

Temos um único espaço dedicado à atividade física no bairro. Um pequeno ringue que apesar de estar degradado tem uma utilização intensiva por diferentes grupos de várias idades. Adjacente a este ringue existe um outro espaço que foi em tempos um jardim e que se encontra em mau estado com um relvado mal-tratado com lixo e dejetos de animais. Queremos recuperar estes espaços e melhorá-los tornando-os mais acessíveis e seguros e com uma utilização mais diversificada e novos equipamentos. Adicionalmente iremos promover ações de incentivo à atividade física.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

12. Clube do bairro: Renovação e reativação do Clube de Lazer Sant’Ana recuperando tradições e sentido de comunidade

Este clube com uma grande tradição no bairro tem como instalações um edifício histórico do município (antigo filtro de água). Atualmente devido à pouca atividade dos associados é muito pouco utilizado e encontra-se quase sempre fechado e está a deteriorar-se. Em conjunto com esta associação promotora queremos dar uma nova vida a este espaço e possibilitar novas utilizações. Para tal pretendemos fazer algumas renovações e atualizações ao equipamento e acessibilidades e organizar um programa para reativar algumas das atividades culturais e desportivas, bem como implementar novas propostas.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

13. Bairro mais social: Organização de atividades de socialização e enriquecimento da atividade cultural

O largo do bairro é o espaço mais privilegiado e requisitado. Queremos propor a organização de uma série de atividades para o aproveitar ainda mais, como concursos, torneios, cinema e concertos ao ar livre. Já contamos com o apoio de alguns membros da comunidade, que se têm proposto a experimentar connosco. Pretendemos facilitar e capacitar mais estas experiências, garantindo-lhes o apoio na gestão e concepção, recursos, comunicação e logística para uma maior partilha de cultura e recriação de sentido comunitário.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

14. Bairro mais bonito: Promover a Arte Urbana na requalificação do espaço comum

A Arte Urbana tem tido um papel fundamental na requalificação do espaço público. Tem um grande impacto na paisagem, confere uma nova luz aos espaços, torna-os mais acolhedores e inspira o sentimento de co-apropriação e o cuidado dos mesmos. Mas é também uma das formas mais diretas de cruzar arte e comunidade. Pretendemos definir as áreas de intervenção, licenciá-las, definir e desenhar o conceito base para a implementação, convidar artistas da comunidade a participar, facilitar e envolver a comunidade no processo criativo, acompanhar e apoiar a produção.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

15. Bairro modelo: Desenhar e publicar estudo de caso bem como demonstração de resultados e aprendizagens para fácil utilização de outros projetos na cidade e cidades

Uma das nossas maiores motivações é transformar os resultados destas experiências em conhecimento e metodologias para transmitir e incentivar outras pessoas, grupos e organizações a explorar e a desenhar soluções adaptadas aos seus espaços comuns, às suas comunidades e necessidades de forma colaborativa. O desenvolvimento é exposto em canais abertos, para que este movimento tenha um impacto ainda mais positivo e alargado e tencionamos reunir toda esta informação num caso de estudo que sirva de guia condutor a muitas mais experiências e iterações.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

16. Plataforma online: Criação de um website que sirva como base para toda a informação e plataforma para partilha de documentação do projeto

Queremos documentar todos os passos e todas as aprendizagens ao longo do projeto e disponibilizá-las abertamente, criar ferramentas de utilização livre que permitam a replicação de boas práticas, metodologias e exercícios noutros bairros e noutras cidades. Para além do grupo de discussão/desenvolvimento do projecto no facebook, que é aberto e que concentra já muitos membros da comunidade, queremos também criar um repositório online com todos os desenvolvimentos, inspirações, documentação do projecto e casos de estudos.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

17. Documentário: Realização de um documentário em vídeo e fotografia que conte a história do projeto e que sirva de celebração desta comunidade e inspiração para outros projetos

Todos os projetos precisam de uma celebração. Um registo do processo que não deixe esquecer todos os envolvidos, dificuldades e sucessos, que grave o antes, o durante e o depois. Queremos registar tudo o que vai ser desenvolvido, aprender com o processo, conhecer mais pessoas, levar o projecto mais longe e inspirar a que se replique.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

18. Espaço de coworking: adaptação e aproveitamento do espaço existente para a organização, atração de participantes e criação de sustentabilidade para o projeto

Este projeto foi a génese para o RUA+ e tem sido a base para os participantes se organizarem e desenvolverem ideias. Tivemos sempre como objetivo alargar o impacto criado pelos projetos que habitam este espaço ao bairro e à comunidade local. Agora queremos aumentar a sua utilidade com melhorias que permitam continuar a usá-lo como ferramenta de projeto. O serviço de coworking para além de atrair uma grande diversidade de participantes interessados em contribuir localmente é também uma fonte de rendimento para manter o espaço aberto à comunidade.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade