N. 255/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Projeto integrado (máximo 50.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

45.968,00 €

Valor de outros financiamentos

11.330,00 €

Valor total

57.298,00 €
Mapa de localização da candidatura


Mapa das candidaturas financiadas


Somos Comunidade

Projeto que pretende atuar na área da Encosta de São Vicente em Torres Vedras, promovendo o exercício da cidadania e a participação ativa da comunidade, mobilizando para isso diversas ferramentas de comunicação. Propomo-nos criar uma TV e um Jornal Comunitários, bem como o Quiosque da Utopia* (distribuição do jornal e recetor de desejos da comunidade), querendo com isto criar novos sentidos, vivências e relações no território, fazendo eco das histórias de vida e dos sonhos dos habitantes, através de meios diferenciadores, capazes de chegar a vários públicos. Será promovido pela associação ATV – Académico de Torres Vedras em parceria com a Câmara Municipal de Torres Vedras, estando enquadrado no âmbito do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano de Torres Vedras / PAICD - Plano de Ação Integrada para as Comunidades Desfavorecidas / ENCOSTA – Regeneração Urbana e Social da Encosta de São Vicente. *Conceito que pedimos emprestado ao autor de banda desenhada José Carlos Fernandes

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Objetivo: Desenvolver a coesão e identidade cultural dos residentes através do fomento do interconhecimento, capacitação e pela implementação de ferramentas participativas, fortalecendo a valorização exterior do bairro, a cidadania ativa, a relação com a restante cidade e criando novas perspetivas de futuro. Justificação: Pretendemos capacitar um grupo de participantes, intergeracional, nas áreas da comunicação social, fotografia e vídeo, para que conheçam melhor o território, as suas necessidades e potencialidades, devolvendo à comunidade o seu olhar, através de meios diferenciadores. A definição das problemáticas teve por base dois diagnósticos, um concelhio (Diagnóstico e Plano de Desenvolvimento Social e Saúde T. Vedras 2017/21, elaborado pela Rede Social) e outro realizado neste território, que contou com vários instrumentos de recolha de dados, incluindo inquéritos por questionário, sessões participativas, sessões públicas de apresentação, seguidas de esclarecimento de dúvidas.

Objetivo específico 1 e justificação

Objetivo: Criar veículos e suportes de comunicação que permitam produzir e fixar conhecimento (TV, Jornal, Exposição de Fotografia, Página Web, Rede Social, Quiosque da Utopia), contribuindo para o aumento da coesão social, integração social e cultural, aumento da valorização do território, o sentimento de pertença dos residentes e melhorar a sua autoestima. Justificação: Apesar dos habitantes estarem geograficamente próximos da cidade, foram por si identificados os sentimentos de “viverem numa ilha”, “à margem da cidade” e “virados para dentro”, concorrendo para a identificação de características de fraca coesão, isolamento social e cultural da população. Este fator, aliado à dificuldade de imaginar perspetivas de futuro, concorre para que exista uma fraca valorização do território, baixa autoestima e reduzido sentimento de pertença.

Objetivo específico 2 e justificação

Capacitar um grupo de participantes, nas áreas da comunicação social, fotografia e vídeo, contribuindo para o seu desenvolvimento e valorização pessoal, permitindo aumentar as opções e visões de vida, potenciando as habilitações profissionais. Justificação: A população deste território é maioritariamente adulta e sénior, assistindo-se a algum desemprego, crescente, e com baixa escolarização, pelo que esta poderia ser uma mais valia importante na valorização pessoal dos participantes.

Objetivo específico 3 e justificação

Aumentar a participação cívica, o espírito crítico, os relacionamentos interpessoais e o espírito de comunidade, de “bairro”, entre os residentes das várias localidades que compõe a Encosta de São Vicente. Bem como, para com as entidades públicas locais (Junta de Freguesia e município) através da intensificação da comunicação e da criação de instrumentos comunicacionais alternativos e inovadores. Justificação: Pelo facto deste território não ter tecido associativo nem espaços públicos relevantes, pretende-se envolver os participantes diretos, vizinhos e demais residentes nos fóruns de discussão, na criação das rúbricas (jornal e TV), envolvendo-os no planeamento das ações e no apoio à concretização das mesmas, fomentando a defesa e reivindicação dos seus problemas (e sugestões) pela sua própria voz.

Objetivo específico 4 e justificação

Objetivo: Contribuir para melhorar a atratividade e imagem do território, estimulando a vinda e/ou fixação de comércio, serviços e jovens, melhorando as condições de vida dos atuais e futuros residentes, combatendo o isolamento e o envelhecimento da população. Justificação: Ao dar a conhecer este território para o exterior, de forma positiva, desconstruindo preconceitos e alargando o alcance da comunicação, fruto da difusão pela internet, acreditamos estar a contribuir para a desmistificação que os restantes habitantes da cidade têm sobre esta zona mais “esquecida” da cidade.

Parceria local

Promotora

ATV - Académico de Torres Vedras

Parceira

Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Matacães
Município de Torres Vedras
Centro Hospitalr do Oeste, EPE
ACES Oeste Sul - Centro de Saúde de Torres Vedras

Território(s) de intervenção

1. Este projeto pretende ser implementado na zona norte da cidade de Torres Vedras, englobando a Encosta de S. Vicente, o bairro da Floresta, bairro Reis, bairro Barreto e o bairro dos Ameais.

Torres Vedras ( São Pedro, Santiago, Santa Maria do Castelo e São Miguel) e Matacães, Torres Vedras
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Exiguidade do espaço habitável
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de condições de mobilidade e transporte
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Abandono escolar
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Construção dos Indicadores, Instrumentos de Avaliação e Recolha de dados

Em sessões participativas, envolvendo os participantes e os parceiros, contando com o apoio técnico disponibilizado pelo município (socióloga), iremos construir os indicadores e os instrumentos de avaliação que utilizaremos para recolher os dados no início, no meio e no final do projeto.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

2. Criação do Jornal Comunitário

Os participantes farão um percurso formativo com profissionais da fotografia, criação de conteúdos e paginação, após o qual serão constituídos grupos de trabalho temáticos, que poderão ter cruzamentos com a TV. Inicialmente farão um reconhecimento mais aprofundado do território utilizando a metodologia da “Foto-Voz”, a partir de temáticas sugeridas pelo grupo. As rúbricas a criar no jornal partirão do grupo, sendo que existirão 2 específicas sobre informações relacionadas com o COVID-19 e outra sobre outros projetos Bairros Saudáveis que serão incluídas. Formação: sessões semanais, Jan. a Mar
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Toda a comunidade

3. Criação da TV Comunitária

Os participantes farão um percurso formativo com profissionais da captação de imagem, entrevista em direto e edição de vídeo, após o qual serão constituídos grupos de trabalho temáticos, que poderão ter cruzamentos com o Jornal. Inicialmente farão um reconhecimento mais aprofundado do território utilizando a metodologia “Vídeo Participativo”, a partir de temáticas sugeridas pelo grupo. As rúbricas a criar na TV partirão do grupo, sendo que existirão 2 específicas, sobre o COVID-19 e outra sobre outros projetos Bairros Saudáveis, que serão incluídas. Formação: sessões semanais, Jan. a Mar.
Destinatários preferenciais
Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Toda a comunidade

4. Quiosque da Utopia – instrumento de fomento da comunicação

Criação dos “Quiosques da Utopia”, dispositivos que têm como objetivo facilitar a comunicação e o acesso à informação dos residentes, distribuindo o Jornal e, simultaneamente, permitindo recolher os desejos, sonhos, sugestões e reclamações da comunidade. Dar e receber. Será concebido de “raíz”, inspirado nos antigos marcos do correio e numa ideia que provém em parte duma banda desenhada de José Carlos Fernandes (a quem pedimos autorização). Estarão distribuídos pelo território e serão personalizados, ao nível da decoração exterior, pelos próprios residentes.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

5. Suporte digital Somos Comunidade - Criação da Página de internet e Redes Sociais

A página de internet servirá como “cartão de visita” do projeto e registo dos programas da TV e as edições do Jornal. Terá como secções principais: - Apresentação do projeto - TV Comunitária (apresentação + programas disponíveis) - Jornal Comunitário (apresentação + edições disponíveis + locais de distribuição) - Agenda de eventos - Contactos e links para Redes Sociais As Redes Sociais permitirão aumentar a interatividade e dar conta do andamento do projeto, bem como das notícias que vão sendo feitas, criando um efeito de “curiosidade”, para quando forem estreadas.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

6. Lançamento dos programas da TV Comunitária e das edições do Jornal Comunitário

Os programas da TV são estreados no território, convidando a comunidade. Será também um espaço de diálogo e balanço do projeto, uma vez que após a exibição será fomentada a comunicação e partilha. Só depois é que os programas são carregados na página de internet e disponibilizados ao público em geral. Datas de lançamento previstas: Mar/Mai/Jul/Set/Nov Da mesma forma, o jornal é distribuído gratuitamente (150 exemp.) nos Quiosques da Utopia, nalguns cafés e espaços públicos e, mais tarde, será carregado na página de internet em formato digital. Datas de lançamento previstas: Mar/Jun/Set/Nov
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade

7. Balanço e Avaliação final do projeto

Convocação de toda a comunidade, participantes diretos do projeto, parceiros, apoiantes, etc para a realização de uma avaliação final do projeto. Estreia do Making of do projeto realizado por todo o grupo de trabalho. Apresentação ao público e à posteriori, colocação na página de internet.
Destinatários preferenciais
Toda a comunidade