N. 126/2020

Tipo de projeto e valor máximo de financiamento

Serviço à comunidade (máximo 25.000 Euros)

Eixos de intervenção em que se enquadra o projeto

Financiamento

Valor solicitado

24.307,00 €

Valor de outros financiamentos

0,00 €

Valor total

24.307,00 €
Mapa de localização da candidatura

Mapa das candidaturas financiadas


Registos

CUBA SOLIDÁRIA

É um projeto focado na criação de uma rede solidária de vizinhança no concelho de Cuba, com o objetivo de estimular a solidariedade e o espírito inclusivo da comunidade (o território, de interior, apresenta nível elevado de: envelhecimento populacional, carências económicas, desemprego, entre outros). Através da promoção de práticas e conceitos de “economia partilhada”, pretende-se sensibilizar e envolver toda a comunidade na promoção da inclusão e da ação solidária, dando simultaneamente resposta às necessidades mais prementes e imediatas dos grupos mais vulneráveis e com menos recursos, combatendo a pobreza. O projeto deverá criar e consolidar uma rede local (entidades públicas e privadas e sociedade civil), a qual deverá desenvolver uma plataforma, e respetivos mecanismos complementares, de partilha, troca de bens e serviços básicos, um fundo de responsabilidade social, e eventos de angariação de receitas a reverter para as instituições locais de ação social e solidária.

Objetivos

Objetivo geral e justificação

Estimular a solidariedade e o espírito inclusivo da comunidade, apoiando quem mais precisa de apoio. A evolução da sociedade, e os recentes confinamentos que a pandemia tem imposto, têm afastado vizinhos e famílias, tornando a partilha e a solidariedade mais raras. Perante tal cenário, os mais pobres ficam ainda mais pobres, quem está sozinho fica mais isolado, o idoso fica prisioneiro de quatro paredes, as necessidades agravam-se, a tristeza e o isolamento também. É urgente recuperar e potenciar os elos de vizinhança e apoio mútuo que sempre caraterizaram o Alentejo rural. Para tal, a estratégia aplicada visa estimular que as pessoas se sintam seguras em prestar e beneficiar de apoio e saibam como podem beneficiar dele e onde fazê-lo, caso tenham possibilidades para isso. Em termos práticos pretende-se: fomentar o conceito de economia partilhada, aproximando quem precisa de quem pode ajudar, articulando, numa lógica de complementaridade, as entidades locais e a sociedade civil.

Objetivo específico 1 e justificação

Criar uma rede solidária e de vizinhança: Na correria dos dias, é frequente que as entidades trabalhem viradas para si, ainda que o seu objetivo seja apoiar outrem; também as pessoas vivem vidas, se não isoladas, pelo menos focadas em si, muitas vezes sem ter noção de que é possível fazer algo pela sua comunidade. Pretende-se criar uma rede solidária, constituída por entidades públicas e privadas e sociedade civil, formalizá-la, dar-lhe identidade, estrutura e capacidade para que possa desempenhar o seu papel de forma mais autónoma e eficaz. A rede terá como principais atribuições: diagnosticar quer as necessidades e principais tipologias de carência existentes e a que é premente dar resposta, quer os diversos apoios (formais e informais) disponíveis na comunidade (em cada freguesia do concelho de Cuba); Articular esforços e recursos para dar suporte e implementar, com base no diagnóstico, as restantes atividades e resultados previstos no projeto (objetivos específicos 2, 3, 4, 5).

Objetivo específico 2 e justificação

Criar plataforma para divulgação e partilha de bens e “serviços”: Ainda que próximas fisicamente, as pessoas estão muitas vezes dispersas; por vezes, querem ajudar, mas não sabem como nem onde. É objetivo criar uma plataforma online onde as pessoas possam divulgar os bens e serviços que podem disponibilizar (i.e. roupas, brinquedos, alimento, ou “serviços” que estão dispostos a prestar a seus “vizinhos”), com garantia de anonimato, se tal for requerido, e de que a ajuda é entregue a quem efetivamente dela precisa. Para tal é necessária a articulação com as entidades que estão no terreno (membros da rede). A plataforma facilitará o matching entre procura e oferta, sendo possível consultar e registar quer as necessidades (por parte de quem necessita), quer os bens ou serviços a doar ou prestar (por parte de quem doa, partilha ou presta graciosamente serviços de proximidade). A plataforma permitirá também publicitar todos os serviços, novidades e iniciativas da rede solidária.

Objetivo específico 3 e justificação

Dinamizar ações de capacitação em saberes, artes, cultura e outros ofícios locais ou tradicionais: A pobreza identificada no território não é apenas de natureza económica. Nos meios rurais é muitas vezes difícil aceder a atividades de desenvolvimento pessoal e ou de capacitação em artes e cultura ou até em outras áreas específicas, no entanto, é frequente que existam pessoas com capacidades para dinamizar este tipo de atividades junto das suas comunidades. Torna-se assim necessário verificar no terreno quem poderá disponibilizar o seu tempo para potenciar as competências de crianças, adultos ou idosos em áreas como a música, a dança, pintura, escultura, mas também em outras temáticas como podem ser a agricultura biológica ou o artesanato. Esta iniciativa permitirá assim que a comunidade beneficie das suas próprias potencialidades, tornando-se mais rica, mais autónoma e mais capaz. Este objetivo é complementar aos restantes e com eles se articula.

Objetivo específico 4 e justificação

Dinamizar eventos solidários: Com base nos resultados atingidos ao abrigo dos objetivos específicos 1 e 2, e particularmente nas atividades de capacitação desenvolvidas no âmbito do objetivo 3 (anterior), será possível promover eventos comunitários inclusivos e solidários, onde possam ser demonstrados os conhecimentos adquiridos (tertúlias, saraus culturais, exposições ou outros) por quem beneficiou das atividades de capacitação. A dinamização deste tipo de iniciativas, a promover no âmbito da rede e alargando-se a toda a comunidade, permitirá não só promover a autoestima de quem “ensina” e quem “aprende”, de quem dá e de quem recebe, como também promover a rede e recolher donativos que possam ser posteriormente entregues a pessoas ou entidades da comunidade que tenham como objetivo o colmatar das necessidades diagnosticadas nos territórios.

Objetivo específico 5 e justificação

Criar mecanismos locais de crowdfunding e apadrinhamento: Paralelamente aos eventos solidários, e com base na rede e na plataforma online criada, é possível constituir uma rede de crowdfunding ou solidariedade local face a necessidades pontuais ou globais, onde seja possível doar para um objetivo comum. Ao mesmo tempo, pretende-se estimular o conceito da responsabilidade social, sensibilizando os empresários e entidades locais, mas também representantes da sociedade civil, para a necessidade de serem solidários dentro da sua própria comunidade, patrocinando, por exemplo, a compra de um instrumento musical para alguém que dele necessita, de um equipamento ou ajuda técnica, de uma bolsa de estudo para um aluno carenciado, ou até de algum equipamento de uso comum ou outro tipo de suporte que se considere adequado e necessário. Estes mecanismos consolidarão então um fundo de responsabilidade social local a gerir pela rede (OE 1).

Parceria local

Promotora

Ligarte, Cooperativa de Acção Cultural, CRL

Parceira

Make it Better, Associação para a Inovação e Economia Social
Terras Dentro - Associação para o Desenvolvimento Integrado
Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Cuba
Cuba
Conferência Vicentina de Nossa Senhora da Rocha de Cuba

Território(s) de intervenção

1. Freguesia de Cuba

Cuba, Cuba
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Ventilação e iluminação solar insuficientes ou baixo conforto térmico e acústico
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

2. Freguesia de Vila Alva

Vila Alva, Cuba
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Ventilação e iluminação solar insuficientes ou baixo conforto térmico e acústico
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

3. Freguesia de Vila Ruiva

Vila Ruiva, Cuba
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Ventilação e iluminação solar insuficientes ou baixo conforto térmico e acústico
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

4. Freguesia de Faro do Alentejo

Faro Do Alentejo, Cuba
Critério 1. Condições de habitabilidade deficientes ou precárias, nomeadamente:
Mau estado das habitações, por deficiente construção, falta de manutenção ou por estarem situadas em territórios afetados por incêndios nos últimos cinco anos
Ventilação e iluminação solar insuficientes ou baixo conforto térmico e acústico
Critério 2. Número significativo de moradores com rendimentos baixos ou muito baixos, nomeadamente:
Pessoas em situação de desemprego, lay-off ou precariedade laboral
Pessoas com poucos anos de escolaridade
Pessoas abrangidas por prestações e apoios do subsistema público da ação social
Critério 3. COVID-19
Número significativo de pessoas de risco em caso de COVID-19, nomeadamente idosos e portadores de doenças crónicas
Critério 4. Número significativo de pessoas com constrangimentos de acesso a cuidados de saúde, nomeadamente por:
Falta de capacidade económica para aquisição de medicamentos
Critério 6. Número significativo de crianças e jovens em idade escolar a não frequentar a escola ou com elevada percentagem de insucesso, nomeadamente por:
Falta de condições para aceder ao ensino a distância
Critério 7. Exclusão social
Número significativo de pessoas em situação de exclusão social, isolamento ou abandono, nomeadamente idosos, pessoas em situação de sem abrigo ou vítimas de tráfico

Atividades

1. Criação de uma rede solidária e de vizinhança

Criar e formalizar a rede de entidades (que irá além da parceria), constituída pelas relevantes entidades públicas e privadas e representantes da sociedade civil. A rede será capacitada e estruturada de forma a dar resposta, a apropriar-se e a manter os diferentes resultados previstos no âmbito dos objetivos geral e específicos do projeto. Será desenvolvida identidade gráfica (logotipo e imagem) e materiais de promoção da rede (posters e brochuras), regulamento de funcionamento e gestão, carta de princípios de responsabilidade social, objetivos e listagem de entidades e pessoas envolvidas.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade

2. Plataforma (Cuba Solidária) para divulgação e partilha de bens e “serviços”

Criar plataforma online onde seja possível registar de forma anónima e personalizada, quer a “procura”, quer a “oferta” de bens ou serviços, facilitando o seu matching. Os pedidos de apoio e as doações podem ser levados a cabo, quer por pessoas, quer por entidades com intervenção no território. Em paralelo a rede articulará a mediação mediar do intercâmbio. A plataforma servirá tb como aglutinador das atividades da rede, publicitando tudo o que se faz no âmbito da rede solidária, servindo também como canal de recolha de sugestões e estratégias de melhoria.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade

3. Dinamizar ações de capacitação em saberes, artes, cultura e outros ofícios locais ou tradicionais

Em articulação com a plataforma (Atividade 2) pretende-se criar uma rede/lista de pessoas com competências em saberes, artes, cultura, ou outras, que podem ir desde a agricultura, artesanato, línguas ou até explicações ou alfabetização de adultos, que estejam disponíveis para doar os seus ensinamentos a crianças, adultos, migrantes ou idosos da comunidade, que delas possam beneficiar. Será depois necessário articular com a rede de entidades do território (atividade 1) no sentido de encontrar espaços, tempos e os meios necessários para que estas partilhas possam ocorrer.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade

4. Dinamizar eventos solidários

A atividade visa a criação de 2 eventos inclusivos e solidários, em alturas específicas do ano como o Natal, verão ou outros, onde possam ser angariados donativos (seja em dinheiro ou em géneros – bens alimentares, roupa, brinquedos ou outros) e, ao mesmo tempo, publicitar a rede solidária e o trabalho que nela é feito. Os eventos servirão para mostrar à comunidade o resultado das atividades de capacitação em artes, cultura e outros ofícios, previstas na atividade 3, podendo ainda beneficiar de sinergias com outros recursos da comunidade, como grupos de cante alentejano, escola ou outros.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade

5. Criar mecanismos locais de crowdfunding e apadrinhamento

Criar plataforma de crowdfunding local, angariando verba que reverta a favor das entidades de solidariedade social do concelho ou de objetivos comuns na comunidade. Pretende-se apelar à responsabilidade social de empresas e entidades locais para que se constituam como “padrinhos” de pessoas ou iniciativas, patrocinando por ex. a compra de um instrumento musical ou outro tipo de bem/serviço para alguém que dele precise ou colmatando outro tipo de necessidade como ajudas técnicas, bolsas de estudo para alunos carenciados, equipamentos de uso comunitário ou outro tipo de apoio diagnosticado.
Destinatários preferenciais
Crianças, Jovens, Idosos, Adultos (população em idade ativa), Mulheres, Famílias, Migrantes, Pessoas com deficiência, Toda a comunidade